Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Assessoria Vila Nova
mazola dep comunicacao
O Vila Nova conseguiu uma importante vitória na tarde deste domingo (5), ao vencer o Rio Verde, no OBA, por 2 a 1. Durante a partida, o time colorado se mostrou desorganizado em campo e não conseguiu criar jogadas de perigo nem pelo meio e nem pelas laterais, e consequentemente, foram poucas as vezes que a bola chegou aos atacantes. Algo que vem se repetindo nas últimas partidas do Tigrão. 

Após a eliminação da Copa do Brasil para o Vasco, alguns torcedores começaram, pelas redes sociais, a criticar a postura tática do time dentro de campo adotada pelo treinador Mazola Júnior. Neste domingo, com o time saindo atrás no placar e não conseguindo alcançar o empate de forma rápida, alguns torcedores começaram a protestar, de forma ofensiva, em direção ao treinador. Essa atitude gerou um grande incômodo em Mazola, que fez um desabafo após o jogo. 

"Contestar e vaiar pode ficar a vontade, é o direito do torcedor, mas ofender a família do profissional que está trabalhando lá, tem que parar com isso. Não é direito de ninguém ofender. Fiquei muito chateado e aborrecido com essa atitude da torcida. Mas esses são minoria, o torcedor de verdade canta, apoia, sabe o que se passa no dia a dia do time, dedico esta vitória à estes torcedores", afirmou o técnico. 

Sobre o fato de estar jogando com muito volantes, Mazola contou sobre um grande problema que o Vila Nova vem passando neste início de temporada, com muitos jogadores sentindo a parte física. 

"Estamos tendo muitos problemas físicos com os jogadores. As opções ofensivas estão todos no departamento médico. No jogo de hoje, tínhamos cinco atacantes no DM. O Hiroshi, que está voltando de lesão, deu seu máximo dentro de campo, foi na raça, mesmo não estando 100%. Tem certas situações que o torcedor precisa entender, estamos tendo estes problemas. Se puxarem no histórico dos times que já treinei, eles sempre estavam no meio dos melhores ataques. Não é questão de retranca, é o momento que exige esse tipo de situação", finalizou o treinador. 

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757