Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

A primeira transmissão radiofônica oficial do estado de Goiás foi realizada no dia 5 de julho de 1942 durante a programação festiva do Batismo Cultural da nova capital pela ZYG-3, que mais tarde, oficialmente, ficou conhecida como a Rádio Clube de Goiânia S/A (RCG).

A criação da RCG foi idealizada ainda no ano de 1941 quando o prefeito de Goiânia, Venerando de Freitas Borges, em uma de suas viagens a São Paulo-SP, se encontrou com Assis Chateaubriand que sugeriu a ele que implantasse uma emissora de rádio na nova capital de Goiás.

Venerando se tornou o primeiro presidente da Rádio Clube de Goiânia ao lado de Antônio Lisboa Machado (vice), Romeu Pires de Campos Barros (secretário) e Agnelo Fleuri (tesoureiro). Junto com a equipe foram feitas várias reuniões na sede do Jóquei Clube para estruturar a nova emissora. O primeiro passo foi a aquisição de um transmissor com a potência de 2000 watts que veio do Rio Grande do Sul e fabricado pela Sociedade Técnica Paulista.

A Rádio Clube, o jornal Folha de Goyaz e a TV Rádio Clube (a partir do momento que foi criada) passaram a integrar o Diários Associados, a maior rede de comunicação da América Latina durantes a década de 1940 até meados da década de 1970 com a venda da TV e em seguida a venda da RC e a Folha de Goyaz para Wibsen de Castro.

A emissora de rádio estava na sintonia 1320 AM dos rádios. No final da década de 1980, pela força política que possuía conseguiu junto ao Ministério das Comunicações alterar a sintonia para 730 AM. A nova frequência tinha melhor qualidade de transmissão do sinal e melhor qualidade de som.

A primeira equipe de locutores foi formada por Luiz Carlos Pimenta Netto, Antônio Caldas, Waldir Gonzaga, Wilmar Guimarães e Inácio Xavier da Silva que construíram uma programação musical, cultural e as campeãs de audiência: as rádios-novelas no período noturno. A Clube também era responsável pela transmissão em solo goiano do "Repórter Esso" - o primeiro programa jornalístico no rádio brasileiro.

Ao longo da história grandes nomes se empenharam para manter a liderança de audiência, tais como: Lourival Batista Pereira, Dalva de Oliveira, Cunha Júnior, Luiz Espíndola, Conrado de Oliveira, Valdemir Celestino, Lázaro Santos, Sandes Júnior, Barbosinha, Carlos Alberto Menezes, Justino Guedes, entre outros.

SEDE

A primeira sede da Rádio Clube foi localizada na Rua 29, esquina com a Avenida Tocantins, em um sobrado alugado. Em seguida, ela foi transferida para a Rua 2, número 5, entre a Rua 7 e a Avenida Goiás, no Centro da capital. A terceira sede registrada foi na Avenida Goiás, entre as Rua 1 e 2, onde hoje está localizado um banco estatal.

As dificuldades estruturais para sediar os veículos impresso, radiofônico e televisivo fizeram com que os gestores transferissem o grupo para a Rua 236, esquina com a Avenida Anhanguera, no Setor Leste Universitário. A emissora ainda foi instalada na Rua 93, próximo a Catedral, mudou para o prédio na Rua 83 até se instalar de forma definitiva, no dia 20 de dezembro de 1992, na Avenida Goiás, 174, Ed São Judas Tadeu, 16º andar.

ESPORTE

A primeira transmissão esportiva do estado de Goiás foi realizada no dia 28 de fevereiro de 1943 pela ZYG-3. Os locutores Iamerô e Luiz Carlos transmitiram o amistoso entre Goiânia e Anápolis SC (que depois se tornaria a A.A.Anapolina) no estádio Olímpico. Os galo venceu por 5 a 3 e entrou para a história radiofônica esportiva em nosso estado. Diante do pioneirismo, a Rádio Clube de Goiânia se tornou referência esportiva, mesmo quando concorrentes foram sendo criadas a partir da década de 1950.

Grandes nomes já trabalharam na emissora como Baltazar de Castro, Edson Rodrigues, Libaldo Alves, Jota Júnior, Cunha Júnior, Nickerson Filho, Teonil Batista, Euler de Barros, Isaías Carlos, Gil Costa, Osvaldo Mesquita, Reed Duarte, José Marques de Albuquerque, Caetano Beghelli, Cleomar Vieira, Luiz César do Amaral (Leleco), Nunes Macedo, Jota Risada, Ezer de Melo e Mané de Oliveira e tantos outros craques.

Em 1987, a direção da emissora fez a aquisição de um novo transmissor com a potência de 25KW para tentar recuperar a hegemonia da audiência na capital. O investimento foi alto e o resultado não foi o esperado. A RCG foi se enfraquecendo e perdendo espaço na preferência do ouvinte.

No dia 1º de dezembro de 1997, a Rádio Clube de Goiânia foi ao ar pela primeira vez como nome fantasia "Rádio K do Brasil". Jorge Kajuru trouxe sua equipe, reformulou a programação e provou que seria possível manter uma emissora com conteúdo, exclusivamente, noticioso e esportivo. O novo proprietário investiu em novo transmissor, com o dobro da potência anterior, vindo do Canadá, apelidado de "Canhão da Independência" e inaugurado no dia 1 de agosto de 1999.

Com um estilo intenso e dinâmico se destacou na cobertura de eventos políticos (como as eleições municipais e estaduais), esportivos (como Copa do Mundo de 1998 e 2002, Copa América de 1999, os Jogos Olímpicos de 2000 e o Pan-Americano de 1999) e eventos culturais (como os desfiles de escolas de samba no Rio de Janeiro e o carnaval no interior do estado).

No dia 17 de novembro de 2003,  sob nova direção, mudou mais uma vez de nome. Depois de escolha popular, os fiéis ouvintes elegeram "Rádio 730 AM" como a nova marca da emissora. Na era digital, manteve o seu pioneirismo ao se tornar a primeira rádio em Goiás disponibilizar conteúdo e transmitir online sua programação.

A modernização da tecnologia apresenta um ritmo acelerado, a adaptabilidade da rádio também. Isto implica em novos estilos, novas marcas, novas ferramentas, nova frequência. Porém, o mesmo estilo de jornalismo respeitado pelos seus ouvintes.

Não importa o nome, a nossa essência sempre será a mesma. Rádio 730, mais atual a cada instante.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757