Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Marconi Perillo. Foto: Reprodução/ Internet
marconi1
O governador Marconi Perillo (PSDB) afirmou nesta sexta-feira (17) que o projeto da ferrovia Goiânia – Brasília pode sair do papel já neste ano. Após uma reunião realizada nesta semana com o diretor geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Jorge Bastos, em Brasília, Marconi ficou otimista sobre o assunto.

Na ocasião, ele teve acesso ao Estudo de Viabilidade Técnica Econômica e Ambiental (EVTEA) do trem de passageiros no corredor Brasília/Anápolis/Goiânia. O processo demorou cinco anos devido a adequações técnicas por conta do porte da obra de mobilidade urbana. “Eu comecei a discutir esse projeto em 2001, no meu primeiro mandato. Depois eu saí do governo, esse projeto esfriou. Na minha volta, em 2011, nós procuramos o governo federal, a Sudeco, ANTT e o Ministério dos Transportes e, aí, começamos de novo a colocar esse projeto de pé”, disse.

Segundo o governo, o custo do projeto é estimado em R$ 9 bilhões. O plano de investimentos apresentado sugere a realização de uma Parceria Público-Privada para a construção da obra.

“Nesta semana eu vi a última proposta de modelagem de engenharia e financeira e fiquei muito satisfeito porque o desembolso dos estados é mínimo e isso faz com que o projeto se viabilize. Vai depender agora apenas de termos empresas, consórcios nacionais ou estrangeiros interessados em entrar na licitação e realizar a obra”, avaliou.

O desembolso total do poder público, de acordo com o documento denominado Tomada de Subsídios, pode chegar a R$ 2,9 bilhões, valor que será dividido entre o Estado de Goiás, o governo do Distrito Federal e a União. Os demais investimentos necessários serão feitos pela empresa que vencer a licitação para realizar o projeto executivo e a obra.

De acordo com Marconi Perillo, já existem investidores árabes e chineses interessados em apoiar a iniciativa Marconi. O primeiro aporte anual do Estado de Goiás e dos governos do DF e federal seria de R$ 6 milhões e o montante seria reduzido gradativamente ao longo de 30 anos. O último aporte seria de cerca de R$ 130 milhões por parte das empresas vencedoras da concorrência pública.

“Se tudo der certo neste ano, é possível, eu não estou prometendo, mas é possível que a gente possa ter o início desse grandiosíssimo projeto”, vislumbra. Ele destacou o quanto é importante perseverar e ter determinação para realizar um sonho, referindo-se aos esforços no sentido de dar continuidade ao projeto que irá “transformar completamente a realidade da região”. Além do trem expresso, está previsto também um trem de transporte de passageiros que faça paradas ao longo do percurso entre Goiânia e Brasília nas cidades de Abadiânia, Alexânia e Samambaia. “É algo que eu não vou inaugurar como governador, mas estamos plantando todas as sementes e definindo todo o alicerce para que um dia, daqui cinco ou seis anos, os goianos possam estar mais próximos dos brasilienses e vice-versa”, comentou.

*Com informações do governo de Goiás

carregando...

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757