Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Rubens Salomão / Portal 730
legado verde
* Com informações do repórter Rubens Salomão

Goiás é o segundo Estado brasileiro a abrigar uma Reserva Particular de Desenvolvimento Sustentável (RPDS), categoria prevista no Sistema Nacional de Unidades de Conservação – SNUC.  O protocolo de intenções foi assinado pelo Governo de Goiás com a empresa Votorantim e a Companhia Brasileira de Alumínio,  que vão realizar ações destinadas à preservação de uma área denominada Legado Verdes do Cerrado, em Niquelândia. O foco de trabalho será a preservação do Cerrado.

A Legado Verdes será composta por duas áreas que totalizam 32,5 mil hectares, (Fazenda Engenho, com 27,4 mil hectares e Fazenda Santo Antônio da Serra Negra, com 5,1 mil hectares), consolidando 84% de áreas de reserva, como cursos d’água, Áreas de Preservação Permanente e vegetação nativa de Cerrado com alto grau de conservação. Além disso, 6% da área destinada a atividades econômicas da Votorantim. As duas áreas têm sido geridas pela empresa e a Companhia Brasileira de Alumínio desde 1974.

O secretário estadual de Meio Ambiente e Cidades (SECIMA), Vilmar Rocha, explica a importância da nova reserva ambiental em Niquelândia. “É uma categoria nova que incentiva e possibilidade o setor privado de participar mais diretamente na conservação da biodiodiversidade. Nós temos 12 parques estaduais. O Estado tem dificuldades em manter isso. Com essa nova categoria, nós vamos fazer com que o setor privado entre na conservação da biodiversidade”, projeta.

A RPDS, totalmente particular, diferente da Reserva Particular de Patrimônio Natural (RPPN), já que permite a utilização também para atividades de pesquisa, educação, turística e recreativas. O diretor de reservas da Votorantim, David Canassa, avalia que a multinacional poderá ter lucro ao mesmo tempo em que busca preservar o Cerrado com a nova reserva ambiental. “Não há problema nenhum em se ter lucro, desde que seja obtido de uma maneira que a sociedade espera. O que a sociedade espera que os biomas estejam protegidos, que haja respeito à legislação. Empresas como a Votorantim vão além disso. Elas protegem muito mais que a legislação pede, e elas estudam os biomas para aproveitar novas oportunidades de negócios para a empresa e a comunidade local”, explica.

O evento de assinatura do protocole de intenções do Estado para a criação da nova reserva ambiental em parceria com a Votorantim foi incluído na agenda do Fórum de Governadores do Brasil Central.

Os governadores de Goiás, São Paulo, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Tocantins assinara outro protocolo – um que sugere ao Congresso Nacional uma alteração no Sistema Nacional de Unidades de Conservação – SNUC para inclusão da Reserva Particular de Desenvolvimento Sustentável (RPDS) como unidades de conservação. A alteração poderá levar projetos semelhantes ao acordado em Goiás para todo o País.

carregando...

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757