Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Leia mais...O técnico Marcelo Cabo nas duas últimas rodadas teve uma boa surpresa no Campeonato Goiano: precisou arriscar no ataque e deu certo.

Perdeu o atacante Junior Viçosa na expulsão contra o Goiás e coube ao menino João Pedro entrar na pressão e resolver o problema de gols do sistema ofensivo.

Acompanhando todos os dias treinos no Atlético e sendo observador no meu trabalho, me chamou atenção às reações negativas que o atacante Junior Viçosa tem tido durante as atividades no CCT.

Experiente que é o jogador não assimilou bem o fato de ter perdido a titularidade para um ‘’menino’’ como o João Pedro.

Principalmente nos últimos dois treinamentos, Junior Viçosa tem se isolado bastante do grupo, treinando cabisbaixo e demonstrando claramente uma insatisfação.

Obviamente que nenhum jogador que tenha uma história em um clube grande como o Atlético gosta de ser reserva e aceitar fácil sair do time. No entanto, outra reação seria mais apropriada no caso do Viçosa: a de apoio ao João Pedro e respeito à opção da comissão técnica.

Junior Viçosa tem uma bela história no clube, já fez muitos gols importantes e conquistou títulos. Quando esteve jogando, era brincalhão, conversador e agregava muito mais ao grupo do que tem sido neste momento.

Mesmo sabendo que o Atlético tem um sistema fechado internamente, a reação do Junior Viçosa não caiu bem, o que complica a situação dele por uma renovação contratual para o Campeonato Brasileiro.

Como futebol é momento, hoje como informação eu diria que não existe nenhuma chance de permanência dele para a Série A e que dificilmente o jogador vai conseguir retomar a sua condição de titular mesmo nas finais do Goiano.

Não será de bico e se isolando dos demais jogadores que ele vai recuperar o prestigio com a comissão do Marcelo Cabo, e, depois de uma história pelo Atlético, exemplos de atitudes como tem tido nos treinos apenas o encaminha a sair pela porta dos fundos.

Leia mais...O Atlético está na semana de preparação para o jogo contra o Rio Verde, sábado, no estádio Mozar Veloso do Carmo, às 16h00. Partida que em caso de mais uma vitória rubro negra vai encaminhar matematicamente a classificação do Atlético a próxima fase do Campeonato Goiano.

O assunto dos últimos dias foi sem dúvida nenhuma a contratação e posteriormente, a apresentação do atacante Walter, terça-feira, no auditório do estádio Olímpico. No entanto, outro assunto caminhou em paralelo a boas discussões do dia a dia do clube. Trata-se do menino João Pedro.

Na última vitória do Atlético contra o Crac, na cidade de Catalão, João Pedro foi o autor dos três gols daquele triunfo. Pediu musica no fantástico e apareceu nacionalmente. Posto isto, abriu-se uma enorme dúvida – manter o artilheiro do último jogo ou retornar a titularidade para o Júnior Viçosa.

Se você fosse o técnico Marcelo Cabo, qual seria a sua escalação ideal para o jogo contra o Rio Verde?

Lembrando que: Betinho, Luis Fernando e o atacantee Junior Viçosa estão à disposição da comissão técnica novamente.

No ataque o ideal seria a volta do experiente Viçosa ou a manutenção e uma sequência a João Pedro?

Kléver; Daniel Borges, Ricardo Silva, Roger Carvalho e Wanderson; Abuda, Betinho, Jorginho e Luis Fernando; Willians e Junior Viçosa (João Pedro)

Leia mais...O Atlético completou neste domingo apenas a sua quinta partida em 2017, sendo o terceiro jogo oficial no Campeonato Goiano. Evidente que após duas derrotas o torcedor mais pessimista começa a ficar preocupado e com o pé atrás com o novo time.

No entanto, é preciso ter paciência com a montagem de um clube que perdeu uma base praticamente inteira após o título brasileiro no ano passado. É importante ressaltar que o sucesso que teve o Atlético no ano passado não nasceu em 30 dias de trabalho.

O Marcelo Cabo e sua comissão técnica tem trabalhado muito para colocar neste novo time um padrão técnico e tático no mínimo semelhante ao de 2016. O Atlético está em crescimento e vai melhorar no decorrer do Campeonato Goiano, e para que isso aconteça, é extremamente necessário que a torcida compreenda o momento de remontagem do time com o carro andando.

Sinceramente, após os três jogos do Atlético e duas derrotas nos clássicos, não vi o dragão inferior ao Vila Nova e nem ao Goiás. As duas derrotas se deram por lances tipicamente isolados, como os dois pênaltis.

Acompanhando o dia a dia do clube eu posso afirmar que acredito que o Atlético vai classificar as finais da competição e vai mostrar um futebol muito melhor do que tem apresentado atualmente.

O Atlético tem duas peças que fazem muito a diferença – o primeiro é o Adson Batista, um dos melhores gestores do Brasil. O outro seu treinador, Marcelo Cabo continua no mesmo padrão elevado do título brasileiro, faltando ainda apenas um pouco mais de sorte.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757