Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Thinkstock
naturalpets
Preocupar-se buscando a saúde nos alimentos é importante para muitas pessoas. E quando essa preocupação também acontece em relação aos pets? A verdade é que os donos estão cada vez mais apostando em uma dieta diferenciada para seus bichinhos.

A ideia é resgatar a alimentação com produtos naturais e caseiros, indo contra a indústria de rações industrializadas, que coloca em seus produtos corantes, conservantes e aromatizantes artificiais. Mas, afinal, qual a melhor forma de oferecer alimentação natural para os pets?

A médica veterinária especialista, Luciana Meguerditchian, concedeu entrevista exclusiva no quadro Mundo Pet desta sexta-feira (1º), na 730, sobre o assunto.

Ouça na íntegra

“A procura tem crescido bastante. A alimentação natural para animais tem que ser prescrita por um veterinário que tenha costume de fazer esse tipo de trabalho, pois o animal precisa de nutrientes e percentuais específicos, que variam de acordo com a idade, raça, se o animal tem algum tipo de patologia. Se o animal precisa emagrecer ou engordar. Tudo isso influencia”, afirma.

De acordo com Luciana Meguerditchian, uma das principais diferenças entre o alimento industrializado e o natural é a concentração de água. “A umidade das rações industrializadas, por exemplo, gira em torno de 10%, para que possa durar nas prateleiras cerca de um ano ou mais. Os alimentos naturais têm cerca de 80% de umidade. Então o sistema urinário do animal e todo o resto, agradecem”, enfatiza.

Há três tipos de alimentação natural: a cozida, à base de alimentação crua e crua com ossos. A especialista orienta que não se deve misturá-las à rações industrializadas, sob risco de desbalancear a dieta.

“Tanto a ração quanto a prescrição natural têm um nível de nutrientes adequado para suprir as necessidades do animal durante um determinado período. Quando se mistura, por exemplo, um frango à ração, aumenta-se apenas as proteínas e não os outros componentes do alimento. Isso, a curto prazo, pode não causar problemas, mas a longo prazo os resultados ruins vão aparecendo”, alerta.

A médica veterinária ressalta os benefícios da alimentação natural com a prescrição correta feita por um especialista. “Pelagem mais bonita, perde menos pelo, o animal fica mais disposto. No caso de alguns animais que fazem tratamentos terapêuticos, conseguimos controlar os exames sem o uso do medicamento, apenas com a mudança alimentar, além do prazer que o bichinho tem em comer”, argumenta.

A médica veterinária Luciana Meguerditchian (Foto: Reprodução)
luciana

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757