Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: NBR
nnbr
O estado de Goiás mantém a segunda posição entre os estados com maior número de feminicídios proporcionalmente à população e tem se aproximado do primeiro lugar, ocupado por Roraima. O estado do Norte tem média de 9,3 casos a cada 100 mil mulheres, enquanto Goiás subiu de 7,5 para 8,5 execuções na mesma medida.

Os dados são referentes aos levantamentos do Anuário da Segurança Pública, Mapa da Violência, Balanço do 180 e da Agência Patrícia Galvão, compilados pela Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres. O Código Penal define feminicídio como sendo o homicídio doloso praticado contra a mulher por “razões da condição de sexo feminino”, ou seja, como se as pessoas do gênero tivessem menos direitos do que as do masculino, normalmente, tratadas como posse.

A secretária nacional das Mulheres, Fátima Pelaes, concedeu entrevista nesta segunda-feira (15) ao canal de televisão NBR. A Rádio 730 participou ao vivo do programa Por Dentro do Governo. Por telefone, ela respondeu a questionamentos feitos pela 730, e lamentou o fato de Goiás ocupar a segunda posição no ranking de violência contra a mulher.

“Temos conversado com as autoridades do Goiás e temos ações conjuntas de conscientização de homens e mulheres. O homem se vê dono da mulher e temos casos infelizes no estado entre autores e vítimas jovens”, afirmou.

Ouça a entrevista na íntegra

Do repórter Rubens Salomão

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757