Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Reprodução/ Internet
rafaella
O corpo da adolescente Raphaela Noviski, de 16 anos, foi enterrado na manhã desta terça-feira (07) no cemitério de Alexânia, no entorno do Distrito Federal. Raphaella morreu na segunda-feira (06) após ser baleada com 11 tiros no rosto dentro de uma sala de aula do Colégio 13 de Maio, em Alexânia.

Centenas de pessoas acompanharam o cortejo pelas ruas de Alexânia até o local do sepultamento. Ao longo do trajeto de cerca de 2km, que partiu da Igreja Assembleia de Deus Madureira, entidade que a jovem frequentava, integrantes do grupo Mocidade Viva, do qual Raphaella fazia parte, levaram balões brancos que foram soltos no momento do enterro.

Segundo a delegada da polícia civil de Alexânia, Rafaela Azzi, o autor do crime, Misael Pereira Olair, de 19 anos, não demonstrou arrependimento e disse ter disparado contra a vítima por sentir 'ódio dela'. 

Ainda de acordo com a delegada, Misael planejou o crime por um ano e afirmou ter comprado o revólver calibre 32 de uma pessoa, cujo nome ele preferiu não revelar.  A delegada esclareceu ainda que o rapaz não tem idade para ter posse ou porte de arma, visto que a idade mínima para isso é de 25 anos, conforme a legislação.

Misael está preso e deve ser indiciado por feminicídio.  A polícia investiga ainda se ele teve a ajuda de um comparsa para cometer o crime. A corporação diz que ele foi auxiliado pelo comerciante Davi José de Souza, de 49 anos, que deu carona ao rapaz até a porta do colégio e esperou do lado de fora, ajudando Misael a fugir. Davi também foi detido.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757