Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Ex-presidente da Agetul, Dário Paiva (Foto: Rubens Salomão)
dariopaivad
A Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga as contas da Prefeitura de Goiânia no período 2008-2016 colheu na tarde desta segunda-feira (28), o depoimento do ex-presidente da Agência Municipal de Turismo, Eventos e Lazer (Agetul), Dário de Paiva.

Paiva, que esteve à frente do órgão de maio a dezembro de 2016, foi denunciado pelo Ministério Público (MP) e pelo Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) por estar entre as dez pessoas envolvidas no desvio de cerca de dois milhões de reais do faturamento do Parque Mutirama.

Em entrevista exclusiva à 730, a vereadora Priscilla Tejota (PSD), que presidiu a sessão no lugar do ausente Zander Fábio (PEN), o ex-dirigente pouco acrescentou às investigações.

“Ele não trouxe nenhum fato novo, não apresentou nenhuma prova. Ele (Paiva) apenas verbalizou e disse, respondendo às perguntas, que trata-se de um inocente e que se trata de um complô contra a gestão dele. Ele desqualificou o trabalho dos promotores do MP e da gestão atual”, afirma.

Acompanhado do advogado Tito Amaral, Dário Paiva afirmou ainda que o procedimento é “inquisitorial”  e desafiou ambos os órgãos a apresentarem provas. “Cadê as provas? Até agora as provas são fofocas, do ouvir dizer. Será que o Ministério Público não conhece a legislação vigente? Não sou eu que tenho de falar onde estão os dois milhões desviados e sim eles. O papel do MP é provar. Os meninos (se referindo aos vereadores denunciados) foram aviltados pela imprensa”, disse, acrescentando que se trata “de uma denúncia temerária”.

O vereador Jorge Kajuru (PRP), relator da comissão, apresentou requerimento solicitando o afastamento do vereador Zander Fábio da presidência da CEI. O pedido será encaminhado à Procuradoria da Casa para a emissão de parecer. Outros dois vereadores que fazem parte da CEI  também citados pelo Ministério Público, Kleybe Morais (PSDC) e Jair Diamantino (PSDC).

Sobre os gráficos apresentados que constataram grandes diferenças nos valores de vendas de ingresso durante sua gestão - cerca de um terço, Dário culpou a crise econômica porque passa o país, além da concorrência de outro parque instalado em Goiânia e da falta de publicidade na televisão.

Por sua vez, Tito Amaral anunciou que na sessão ordinária desta terça-feira, o vereador e presidente da Comissão Zander Fábio fará um pronunciamento na tribuna da Casa para se defender das acusações. Logo após, participará de uma entrevista coletiva.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757