Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Álvaro Cássio (Foto: Larissa Artiaga/ Portal 730)
delalvarocassio
O Delegado-geral da Polícia Civil do Estado de Goiás, Álvaro Cássio, concedeu nesta terça-feira (11), uma entrevista exclusiva à Rádio 730. Na ocasião, o Delegado-geral analisou os principais temas referentes à área de Segurança Pública e a anulação do concurso para delegado substituto da Polícia Civil de Goiás.

Em março deste ano, cinco pessoas foram presas suspeitas de fraudar o concurso em questão. Ao ser questionado sobre o assunto, Álvaro Cássio, confirmou que a empresa promotora do certame, o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), tem envolvimento direto no caso. “Nós pedimos o afastamento do Cebraspe por achar que a empresa não é idônea. As investigações apontam isso. Além disso, funcionários da empresa também estavam envolvidos na fraude”, afirma.

Após o descobrimento das fraudes, o concurso foi anulado e o governador Marconi Perillo (PSDB) autorizou a realização de um novo concurso. No entanto, segundo Álvaro Cássio, ainda não há uma data definida para a aplicação das provas. “Eu acredito que o novo certame vai ser anunciado em breve. O Cebraspe está sendo notificado e assim que essa notificação for concluída, deve sair o edital do novo concurso para delegado de polícia”, assinala o Delegado-geral.

Foto: Larissa Artiaga/ Portal 730
delalvarocassioestudio
As provas objetivas do concurso foram aplicadas no dia 3 de fevereiro deste ano e o resultado definitivo foi publicado no dia 2 de março, causando estranheza nos candidatos a quantidade de aprovados com nota superior a 90 pontos. De acordo com a Polícia Civil, os candidatos envolvidos nas fraudes iam até o local de prova, mas deixavam o papel em branco para que outra pessoa respondesse depois. Os suspeitos chegaram a pagar até R$ 120 mil para participar do esquema.

De acordo com a peça do Ministério Público, no dia 12 de março, data em que foram aplicadas as provas subjetivas, a Delegacia de Estadual de Repressão a Crimes contra a Administração Pública (Decarp) promoveu a prisão de cinco pessoas envolvidas na fraude, os candidatos Magno Marra Mendes (ex-vereador da cidade de Palmeiras de Goiás, classificado na segunda posição da prova objetiva, com 95 pontos), Fábio Alves de Oliveira, Suzane Fonseca dos Santos, Armando Colodeto Junior, e do aliciador Antônio Carlos da Silva Francisco. 

A reportagem da Rádio 730 entrou em contato com a assessoria de comunicação do Cebraspe que, por meio de nota, informou que é uma empresa idônea, que repudia as declarações feitas pelo delegado-geral na entrevista.

A nota diz ainda que vem colaborando desde o início com as investigações da Polícia Civil (PC) e que, caso seja apurado o envolvimento de algum funcionário, não medirá esforços para agir dentro do rigor da lei. Confira, a seguir, a nota na íntegra:

"O Cebraspe repudia a afirmação veiculada hoje (11/7/2017), em entrevista do Delegado-Geral da Polícia Civil de Goiás (PC/GO), à Rádio 730 de Goiânia, de que este Centro teria envolvimento direto no caso da fraude do concurso para Delegado da Polícia Civil de Goiás, e que é “uma empresa inidônea”.

O Cebraspe, desde o início da apuração desse caso pela Polícia Civil de Goiás, tem contribuído efetivamente com as investigações, ainda em curso, e é o maior interessado no esclarecimento da situação. Não tem sentido caracterizar como inidônea uma instituição com mais de 20 anos de atuação em processos de seleção respeitados e transparentes. A comprovação de ato ilícito eventualmente cometido por empregado de qualquer empresa, pública ou privada, não a caracteriza como instituição inidônea.

No caso da investigação comprovar a participação de algum empregado, o Cebraspe não medirá esforços em contribuir para que haja punição com o rigor da Lei, adotando, inclusive, as medidas judiciais cabíveis visando à reparação de qualquer dano à sua imagem e aos seus valores, causados por terceiros.

Sobre a informação de que a PC/GO solicitará a anulação do concurso, este Centro informa que ainda não foi notificado, mas garante que, no processo administrativo, demonstrará sua idoneidade.

O Cebraspe reitera seu comprometimento com seleções, avaliações e certificações realizadas com lisura, transparência e isonomia. Esses são valores dos quais esta Instituição se orgulha e com os quais trabalha há mais de 20 anos."

Confira a entrevista na íntegra:

 

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757