Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Robson Azevedo (SMS), Rodrigo Godinho (Decon) e Patrícia Quirino (Procon Goiânia) (Foto: Johann Germano/Portal 730)
operacaoolhovivo
Equipes da Polícia Civil, por meio da Delegacia de Repressão a Crimes Contra o Consumidor (Decon), em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde e Procon Goiânia, interditaram nesta quarta-feira (5) uma panificadora no Setor Leste Universitário, durante Operação Olho Vivo.

Segundo o delegado adjunto da Decon, Rodrigo Godinho, foram encontrados no estabelecimento, que também funciona como empório, veneno de rato espalhado pelo chão, os próprios roedores transitando pelo local, baratas, calçados de funcionários colocados sobre prateleiras próximas a alimentos, além de produtos vencidos ou fora dos padrões de higiene e armazenamento.

“Havia fezes de roedores, veneno para matar estes roedores próximo à linha de produção de alimentos, alimentos sem identificação e prazo de validade, sem nenhum tipo de manutenção adequada, além de alimentos vencidos”, descreve.

Ao todo, 340 quilos de alimentos foram apreendidos e descartados em um aterro sanitário da capital. De acordo com a gerente de Fiscalização do Procon Goiânia, Patrícia Quirino, os equipamentos utilizados para armazenar os produtos também apresentavam problemas que poderiam comprometer a qualidade dos alimentos.

“Tinha freezer que não estava tampando e não tinha pressão, e não dava a temperatura ideal para que os alimentos permanecessem com as suas características ideais. Por exemplo, o presunto estava babando, a muçarela estava mofada. Os salgadinhos estavam colocados de forma exposta no próprio freezer”, relata.

De acordo com o superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia, Robson Azevedo, o estabelecimento já vinha sendo fiscalizado desde o mês de abril, não tinha alvará de funcionamento.

“Já fizemos a interdição imediata do estabelecimento e só vai reabrir se cumprir todas as normas sanitárias especificadas pela legislação. Ele estava em processo de conclusão do alvará, motivo pelo qual fizemos a fiscalização lá em abril. Na condição atual em que ele está, vai demorar a pegar esse alvará”, pontua.

De acordo com a Decon, o homem de 63 anos que é dono do estabelecimento, foi detido em flagrante e indiciado por crime contra o consumidor, cuja pena varia de 2 a 5 anos de prisão. No entanto, ele já pagou fiança e vai responder pelo processo em liberdade.

O empório e panificadora funcionava em frente a um supermercado de mesmo nome, na 6ª Avenida, próximo à Rua 221, mas que não possui relação com o estabelecimento interditado. A reportagem do Portal 730 não conseguiu contato com o proprietário autuado.

 

 

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757