Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Suspeito jogou cão com as patas cortadas ainda vivo para que morresse agonizando dentro de terreno de ONG que protege animais (Foto: Polícia Civil/Divulgação)
caosemaspatas
A Polícia Civil (PC) de Iporá, a 226 quilômetros de Goiânia, prendeu nesta segunda-feira (29) Sandro Pereira de Melo. Na delegacia, o homem confessou que matava cachorros nas proximidades de uma Organização Não-Governamental (ONG) que cuidava dos animais por causa do som dos latidos.

“Ele (cachorro) batia as ‘mão’ no meu portão assim e ficava ‘balangando’, de noite. O outro ficava latindo de lá e ele ‘balangando’ o portão. Isso foi uma semana. Não lembro o lugar onde eu joguei ele, não. Foi pra lá da cerca”, conta.

Segundo a PC, o crime aconteceu no final do mês de março. O homem, que mora próximo à Associação VIDA, que cuida de cães em situação de abandono, confessou que utilizou uma ferramenta popularmente chamada de “podão” para cometer a atrocidade.

Segundo o suspeito, que tem um cão em casa, o crime foi cometido no início da noite, ao escurecer. Sandro confessou aos policiais que havia bebido muito antes de cortar as patinhas e jogar o animal ainda vivo dentro do terreno da associação para que morresse agonizando. “Primeiro bati com o podão nas costas dele, meio de lado. Depois cortei as patas”, descreve.

O suspeito confessou ainda que matou outro cachorro logo depois, dessa vez a pauladas, também por causa barulho dos latidos. O autor será indiciado pelo crime de mutilação e maus tratos de animais, previsto na Lei Ambiental, cuja pena é de três meses a um ano de detenção e multa. 

Suspeito contou com detalhes como mutilou cão com 'podão' (Foto: Polícia Civil/Divulgação)
decepacao

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757