Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Michel Temer e Joesley Batista (Fotos: Agência Brasil/Buzzfeed/Montagem/Portal 730)
temerjoesleya
O Supremo Tribunal Federal (STF) divulgou no início da noite desta quinta-feira (18) o áudio de uma conversa que envolve o presidente Michel Temer (PMDB) e um dos donos do frigorífico JBS, Joesley Batista.

Ouça o áudio na íntegra:

Ouça a seguir o trecho em que Temer diz “Tem que manter isso, viu...”

Nos primeiros cinco minutos do áudio, ouve-se apenas ruídos e o que parece ser Joesley se deslocando, de carro, ao encontro do presidente da República. Aos 4’45” de gravação, é o momento exato em que o empresário encontra Temer, e os dois iniciam os cumprimentos.

A reportagem da 730 fez a transcrição de alguns trechos da conversa. Por conta dos ruídos em muitas partes do áudio, não foi possível transcrever a íntegra.

JOESLEY: Faz tempo que não o vejo.

TEMER: É você que está fora do Brasil.

JOESLEY:  Como está a correria?

TEMER:  Estou fazendo dez meses, parece que foi ontem, né?

Em seguida, Michel Temer faz um resumo das primeiras semanas à frente do Executivo, e relembra os protestos da oposição após o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

TEMER:  Eles lançaram o negócio do ‘golpe’, ‘golpe’, ‘golpe’, não passou. Aí a economia não vai dar certo, não vai dar certo, começou a dar certo. Então é um desespero. Mas nem vou ter apoio do Congresso, se não tem apoio do Congresso, estou f... . Não tem apoio da impresa...entendeu?

JOESLEY:  (risos)

TEMER:  Mas vai dar certo. Nós vamos atravessar isso aí, você vai ver. Vamos chegar no final deste ano já muito melhor. Em 2018 vamos comemorar.

JOESLEY:  Com certeza. Nós vamos chegar a isso mesmo. Vamos chegar no fim desse ano olhando para frente, animado.

TEMER:  Começou modestamente, mas já começou. Uma coisa que eu não esperava que começasse agora.

JOESLEY:  Muito rápido.

TEMER:  Muito rápido.

JOESLEY:  Você está falando dez meses, mas na realidade...

TEMER:  Seis como titular.

JOESLEY:  Então... Teve aquele ‘periodozinho’ ali muito duro, né, que não podia fazer nada...

TEMER:  Seis meses como titular e olha o que nós já fizemos. PEC dos Gastos, uma reforma [...], aprovamos a DRU que estava lá para ser votado. Aprovamos dezenas de [...] aprovamos a admissibilidade da Comissão Nacional de Justiça, fizemos um grande acordo de natureza trabalhista, aquela coisa do acordado sobre [...] as centrais sindicais...

JOESLEY:  É, muito rápido. Muita coisa muito rápido. [...] A economia está bem mas tem que baixar o juro rápido, porque a expectativa foi muito rápida, né? A reversão da expectativa.

TEMER:  A gente  não precisa andar rápido. Desce mais um, vai descendo responsavelmente, entendeu?

JOESLEY:  Uhum, sim.

A conversa segue, e Joesley diz ao presidente que não o via desde pouco antes do impeachment de Dilma. Ponderou que “vinha falando com Geddel”, em referência ao ex-Ministro Geddel Vieira Lima, e com Eliseu Padilha, ressaltou que a visita se deve por três motivos, sem esclarecer quais.

JOESLEY:  O que o senhor precisar de mim, viu, ‘tamo’ junto aí, você me fala. Deixa eu te ouvir um pouco, presidente, como é que o senhor está nessa situação toda aí? Eduardo (Cunha)...não sei o quê, como está essa relação?

TEMER:  O Eduardo (Cunha) resolveu me fustigar. Você viu que... Eu não tenho nada a ver com a defesa. O Moro indeferiu 21 perguntas dele, eu não tenho nada a ver com a defesa dele. Eu não fiz nada [...].

JOESLEY:  Eu queria falar assim. Dentro do possível, eu fiz o máximo que deu ali, zerei tudo, o que tinha de alguma pendência daqui para ali, zerou tudo. E ele foi firme em cima e já estava lá, veio, cobrou, tal, tal, tal. Pronto. Acelerei o passo e tirei da fila. [...] Eu estou lá me defendendo. Como é que eu, o que eu mais ou menos consegui fazer até agora. Eu estou de bem com o Eduardo...

Ouça a seguir o trecho em que Temer diz “Tem que manter isso, viu...”

TEMER:  Tem que manter isso, viu...

JOESLEY:  Todo mês, também, eu estou segurando as pontas, estou indo. Esse processo, eu estou meio enrolado, assim, no processo [...]

JOESLEY:  É investigado. Eu não tenho ainda denúncia. Então, aqui eu dei conta de um lado do juiz, então eu dei uma segurada, do outro lado do juiz substituto que é um cara que ficou...

TEMER:  Está segurando os dois...

JOESLEY:  É, estou segurando os dois. Então eu consegui um procurador dentro da força tarefa que também tá me dando informação. E lá que eu estou para dar conta de trocar o procurador, que está atrás de mim. Se eu der conta tem o lado bom e o lado ruim. O lado bom é que dá uma esfriada até o outro chegar e tal, e o lado ruim é que se vem um cara com raiva...

A conversa se estende e o áudio chegar a ter cerca de 39 minutos.

No STF

O ministro relator da Lava Jato no STF, Edson Fachin, já homologou as delações de Joesley e Wesley Batista, feitas à Procuradoria-Geral de Justiça.

Na tarde desta quinta-feira, Temer fez um pronunciamento de pouco de 4 minutos, no qual diz que não teve acesso ao material das delações e que não renunciará à presidência, e nega que tenha autorizado compra de "silêncio de quem quer que seja".

Clique aqui e tenha acesso ao pronunciamento de Temer no Palácio do Planalto nesta quinta (18)

Baseado nas delações, Fachin autorizou a abertura de inquérito contra o peemedebista, para que este seja investigado.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757