Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Google Street View
libanio
A Polícia Civil (PC) apresentou nesta segunda-feira (10) o resultado da investigação sobre o arrastão o Colégio Estadual Manoel Libânio da Silva, em Abadia de Goiás, região metropolitana de Goiânia, ocorrido no dia 29 de março. No dia do crime, vários objetos foram levados de alunos, professores e servidores.

Wellington Ferreira do Rosário Sampaio, de 18 anos, Matheus Pacheco Rodrigues, de 21, e ainda um adolescente, são os principais suspeitos. O delegado da cidade de Guapó, Arthur Fleury, responsável pelo caso, explica como os policiais chegaram ao trio.

“Conseguimos analisar imagens, ouvimos testemunhas, as vítimas, até conseguirmos chegar aos receptadores, ou seja, quem comprou os objetos roubados. É uma associação criminosa formada por dois maiores e um menor de idade, todos detidos. O Wellington é o que estava mascarado e entrou na sala de aula para pegar os objetos, o menor ficou na porta da sala com uma arma em punho, e o Matheus ficou no carro, no lado externo, para dar fuga”, explica.

No dia do crime, os alunos foram obrigados a colocar as mãos sobre as mesas e abaixar cabeça enquanto os suspeitos passavam nas mesas uma a uma roubando objetos dos estudantes.

Segundo o delegado, todos os objetos roubados foram recuperados pela polícia. Além destes, a arma e o carro utilizados no crime. Os dois maiores tiveram a prisão preventiva decretada e a internação do adolescente, ainda neste domingo (9).

Com informações do repórter Jerônimo Junio

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757