Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Dona de panificadora foi morta a tiros (Foto: Arquivo/Reprodução/Whatsapp)
nilsa
A Polícia Civil (PC) por meio do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital, concluiu inquérito que apurou a morte de Nilsa Custódio Mateus, de 52 anos. O crime aconteceu no último dia 2 de janeiro, dentro uma panificadora e mercearia, no Setor Garavelo Park, próximo ao Anel Viário.

A vítima era proprietária do estabelecimento. No dia do crime tudo indicava que se tratava de um latrocínio. No entanto, segundo as investigações, a mulher foi morta porque descobriu uma suposta traição extraconjugal e passou a ameaçar a amante do marido.

“A partir disso, ela (Nilsa) passou a trocar conversas via telefone com a amante do marido. O filho tomou as dores e acabou planejando a ação desde dezembro de 2016, com execução no dia 2 de janeiro de 2017.

O filho da amante, Athos Evangelista Guimarães, de 23 anos, é apontado pela polícia como autor do crime, que teve a participação de Vinícius Rodrigues Evangelista. Este último está foragido. Há ainda uma terceira pessoa envolvida que ainda não foi identificada. Ao todo, cinco pessoas já foram presas suspeitas de envolvimento.

Ainda de acordo com as investigações, não foram encontrados indícios de participação da amante no crime. O adjunto da GIH explica como a polícia chegou à conclusão de que não se tratava de um crime de roubo seguido de morte.

“Chegamos a informações preliminares de que não foram levados objetos no dia, embora algumas testemunhas disseram que foi levado, e o tiro de encosto que é um tiro que normalmente não acontece em um crime de latrocínio, e sim de execução”, esclarece.

Ao todo foram expedidos pela polícia 13 mandados de busca e apreensão, nos quais foram coletados celulares e a caminhonete utilizada no crime, além dos cinco de prisão temporária, sendo que somente a de Athos foi convertida em preventiva.

Com informações do repórter Jerônimo Junio

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757