Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: PM/Divulgação
caobolinha
O treinamento de cães farejadores da Polícia Militar (PM) ajudou equipes do Batalhão de Choque a encontrar porções de drogas nos fundos de uma residência no Setor Marista Sul, em Aparecida de Goiânia, na região metropolitana.

Na tarde de segunda-feira (24), os policiais militares do 8º BPM e cães treinados da Rocan apreenderam quatro pessoas por tráfico de drogas no setor. Na abordagem, os agentes prenderam Wallison Lázaro Rodrigues da Silva, de 34 anos, e encontrou com ele algumas porções de maconha. O suspeito informou à PM que havia acabado de comprar a droga pela quantia de R$ 70, e indicou o local.

Leia também

Cães treinam até dois anos para poderem atuar no Batalhão de Choque

De acordo com a PM, no ponto de vendas, foram abordados Joselito Calixto de Souza, de 62 anos, e Silvanete Maria Alves de Souza, de 59, proprietários da residência. No local também foi presa Adriana Nascimento Gomes, de 32 anos, que teria vendido a droga para Wallison. Ela, por sua vez, afirmou que trabalhava para os donos do imóvel, Joselito e Silvanete.

Nos fundos da casa, os policiais verificaram a existência de grande quantidade de entulhos. Com a ajuda dos cães Cratos e Criolo, foram encontradas debaixo dos objetos três poções de maconha escondidas.

Foto: PM/Divulgação
caobolinhae

Faro apurado e treinamento duro

Estes dois fatores fazem parte da rotina dos cães policiais que, depois de meses de trabalho, aprendem a identificar os diversos tipos de substâncias ilícitas existentes. Os cães começaram a participar do combate às drogas na década de 60, durante a Guerra do Vietnã e, com o passar do tempo, o olfato poderoso deixou de ser o único pré-requisito para a seleção desses admiráveis cães farejadores que, no Brasil, são treinados desde 1988.

Labrador, golden retriever, pastores alemão e belga malinois são as raças preferidas em razão de seu ‘super-faro’. Esses cães possuem mais de 200 milhões de células olfativas. O fox terrier, por exemplo, tem 147 milhões enquanto o ser humano possui apenas 5 milhões de células olfativas.

Veja a seguir o momento em que um dos cães encontra a droga nos fundos da residência no Setor Marista Sul.

Vídeo: PM/Divulgação

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757