Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Médico urologista Newton Brenner no Cidadania em Destaque (Foto: Johann Germano/Portal 730)
newtonbrenner
Novembro finalmente chegou e, com ele, a cor azul. Isto mesmo. O mês é destinado à prevenção do câncer de próstata, e a preocupação não poderia ser diferente. De acordo com dados do Ministério da Saúde, mais de 14 mil homens morreram por conta da doença só em 2015, o que representa cerca de uma vítima fatal a cada 30 minutos, só no Brasil.

No país, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, atrás apenas do de pele, o chamado melanoma. O médico urologista, membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia e secretário da Sociedade Brasileira de Urologia-Seção Goiás, Newton Brenner, concedeu entrevista exclusiva à Rádio 730 nesta segunda-feira (6).

Quer saber mais? Ouça a entrevista na íntegra

“As mulheres são muito mais ligadas. Elas procuram o médico para fazer a prevenção com uma frequência que não se pode comparar. Os homens, apesar de o índice ter melhorado bastante, ainda ficam um pouco reticentes em relação a isso. A procura ainda é insuficiente, mas tem aumentado bastante. É difícil explica, mas o homem acha que é o provedor, que não adoece, que quando vai fazer triagem é para procurar chifre em cabeça de cavalo. Infelizmente existe essa ideia”, analisa.

Newton Brenner destaca que mesmo na prevenção dos homens, o papel das mulheres é fundamental, pois são mães, esposas e filhas e que incentivam a classe masculina a buscar o interesse pelo exame.

Segundo o especialista, os exames não previnem, mas servem para rastrear a existência ou não da doença no organismo. Mais de 90% dos casos em que o câncer de próstata é diagnosticado precocemente, há cura. Em caso de pessoas saudáveis, é feito o chamado rastreamento. Do contrário, o diagnóstico precoce.

Ainda de acordo com o urologista, os homens precisam se atentar aos chamados fatores de risco, como a hereditariedade, cor de pele e idade.

“Homens que possuem pai ou irmão com a doença têm duas mais chances de ter esse problema. Quando têm dois parentes de primeiro grau, aumenta em até seis vezes. A raça negra, infelizmente, está mais predisposta a essa patologia, assim como também a idade. O envelhecimento passa a ser um fator de risco para o câncer de próstata.

Na fase inicial, o câncer de próstata pode não apresentar sintomas, mas quando apresenta, o médico deve ser consultado imediatamente. Saiba quais são os sinais mais comuns da doença:

- dificuldade de urinar;

- demora em começar e terminar de urinar;

- sangue na urina;

- diminuição do jato de urina;

- necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757