Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Rafael Fernandes e Heloíse Helena Silva Medeiros no Cidadania em Destaque desta segunda-feira (28) (Fotos: Jordanna Ágatha)
sauded
Se os números na balança, para muitos, já são assustadores, imagine os das estatísticas. De acordo com o Ministério da Saúde, mais da metade dos brasileiros estão acima do peso. A quantidade de obesos, em na última década, saltou 60%, passando de 11,8% em 2006 para 18,9% no ano passado.

Reflexo disso pode ser a dificuldade que muitos brasileiros têm de perder peso. De acordo com a médica nutróloga, Heloíse Helena Silva Medeiros, em entrevista exclusiva no quadro Saúde desta segunda-feira (28), no Cidadania em Destaque, reduzir os quilinhos é uma questão de mudança de estilo de vida.

“O controle precisa ser diário. As pessoas pensam que podem fazer esse controle por um tempo e depois parar. Isso não é verdade, é preciso fazê-lo a vida toda. Elas têm que mudar o estilo de vida, para que as escolhas melhores façam parte da vida, não pode ser visto como uma coisa ruim. Isso faz com que as pessoas façam dietas com frequência e nunca têm o peso que elas querem. Isso propicia o efeito sanfona e compulsão alimentar”, explica.

Segundo o personal trainer, Rafael Fernandes, um fator que frequentemente afasta quem quer perder peso das atividades em academias de musculação, por exemplo, é a falsa impressão de ganho de peso.

“Ela pode, na verdade, estar melhorando a composição corporal, ou seja, adicionando massa magra e perdendo tecido adiposo, que é gordura. Ela pode ter feito uma avaliação física superficial e não apresentou melhora, mas é o contrário, reduziu gordura e aumentou massa magra”, esclarece.

Um dos principais vilões da reeducação alimentar é o carboidrato. De acordo com a nutróloga Heloíse Medeiros, o açúcar está entre eles.

“O carboidrato, depois de ingerido, vira açúcar. O açúcar tem um papel muito grande no desenvolvimento de doenças cardiovasculares, por aumento de colesterol, formação de placa. O ideal é o equilíbrio. A gente não imagina que tudo tem carboidrato, como cenoura e brócolis, por exemplo, e acaba comendo em excesso”, argumenta.

Para os que estão acima do peso, dizer que não consegue dar aquela corridinha diária não é desculpa para deixar de se exercitar. Segundo Rafael Fernandes, nestes casos, a musculação ajuda na diminuição de gordura.

“Com o treinamento de força ele consegue reduzir bastante o percentual de gordura. Para a pessoa que tem sobrepeso, o treinamento de força é interessante para estratégia de emagrecimento”, pontua.

Quer saber mais? Ouça a entrevista na íntegra a seguir

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757