Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Reprodução/Youtube
agua
Com o tempo mais seco e quente nesta época do ano é normal que nós seres humanos bebamos mais água que o normal. Com os animais ocorre o mesmo, certo? Nem sempre.

A médica veterinária especialista em nefrologia e urologia, Brenda Torchia, concedeu entrevista exclusiva no quadro Mundo Pet do programa Cidadania em Destaque desta sexta-feira (26). Ela explica que mudanças de comportamento nos bichinhos com relação ao aumento ou diminuição da ingestão hídrica devem ser observados.

“O proprietário pensa que, pelo fato de o cãozinho ou o gatinho estar bebendo muita água ou urinando muito significa que ele está saudável, mas isso pode sim ser um sinal de doença. Como os pets não tem condições de contar pra gente o que está acontecendo, pode demorar muito para que comecem a apresentar dores ou sintomas mais fortes, até o proprietário perceber e trazer pra gente”, analisa.

De acordo com BrendaTorchia, em geral os pets bebem cerca de 50 ml de água por dia, o que é considerado normal, no entanto, não é uma regra. Outro fator que deve ser observado pelo proprietário, segundo a especialista é a coloração da urina.

“Se a urina estiver em tom mais escuro que o normal, pode ser tanto porque está bebendo pouca água, por isso sai muito concentrado, como também por conta de uma infecção urinária. Pode também haver algum sangue misturado com a urina, o que acaba escurecendo. O fato de estar escura é algo que chama a atenção”, avalia.

Um fator que a veterinária destaca é se o animal está consumindo mais água nos dias mais quentes. Caso isso não ocorra, ela recomenda mais opções de vasilhas com água espalhadas pela casa.

“Até às 16h, nestes dias mais quentes, a tendência é que fiquem ofegantes e bebam mais água. Uma orientação por conta deste tempo é colocar mais vasilhas de água do que geralmente tem em casa. Às vezes o cão ou gato fica com preguiça de ir até o lugar para poder beber água e ficam sem beber. Acabam se desidratando e acarretando alguns problemas”, afirma.

Os rins são responsáveis pela produção da urina e eliminação de substâncias do corpo. A médica relata quais os problemas renais mais comuns nos pets.

“A infecção urinária é mais comum em cães do que em gatos, mais comum em fêmeas do que em machos. A raça Schnauzer é mais propensa a desenvolver cálculo renal, tanto nos rins como na bexiga. O Shih Tzu que já pode ter problema logo de nascença. Entre os gatos, o Persa desenvolve uma doença genética que é o rim policístico, que causa dor e pode gerar problema renal crônico”, esclarece.

Quer saber mais? Ouça a entrevista na íntegra

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757