Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Reprodução/ Internet
diu
Com ampliação da oferta de Dispositivo Intrauterino (DIU) de cobre para mulheres atendidas no Sistema Único de Saúde (SUS), Goiânia é a primeira capital do Brasil a receber equipes do Ministério da Saúde para capacitação de médicos e enfermeiros que atuam nas maternidades públicas. 

Apesar de ser o método anticoncepcional mais usado no mundo, no Brasil ainda é pouco difundido. Em Goiânia, o DIU de cobre já é oferecido nos postos de saúde às mulheres que manifestam interesse pela técnica durante as reuniões de planejamento familiar. Caso optem pelo dispositivo, as pacientes são encaminhadas, via Central de Regulação, à unidade para realização do procedimento.

No primeiro semestre de 2017, 489 dispositivos foram aplicados nas unidades básicas de saúde do município. Ao ampliar o uso do Dispositivo Intrauterino para o período do pós parto ou em procedimento pós-abortamento, a expectativa da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) é de que a adesão aumente. Com a capacitação de médicos e enfermeiros nos próximos dois dias, o método já estará disponível às pacientes das maternidades municipais Dona Iris e Nascer Cidadão a partir de sexta-feira, 04.

Durante o acolhimento das gestantes nas maternidades, os profissionais de saúde que realizam a classificação de risco e a consulta pré-parto conversarão com as mulheres sobre o DIU de cobre e, caso elas manifestem interesse, darão os encaminhamentos para utilização da técnica. Ao longo do pré-natal as futuras mães também devem ser orientadas sobre o método e a possibilidade de utilizá-lo em até 48 horas após o parto.

Além do período pós-parto, o método também está disponível para mulheres após aborto espontâneo ou induzido. Neste casos o DIU deve ser colocado imediatamente se não houver infecção e caso a mulher deseje utilizar o método. Cerca de 60 médicos e enfermeiros do Hospital e Maternidade Dona Iris, Nascer Cidadão, Materno Infantil e Nossa Senhora de Lourdes devem participar da capacitação teórica e prática promovida por especialistas do Ministério da Saúde.

O DIU de Cobre é um método contraceptivo de longa duração e alta eficácia. Segundo o Ministério da Saúde, o dispositivo dura em média dez anos e é reversível, ou seja, pode ser retirado a qualquer momento. A fertilidade retorna logo após a remoção.

Planejamento familiar 

Mesmo com políticas públicas que incentivam o planejamento familiar no país, o percentual de gestações não planejadas ainda é alto. Em entrevista com mulheres no pós-parto, a pesquisa “Nascer no Brasil”, de 2014, apontou que 55% deste público não havia programado a gestação. Segundo o estudo, entre adolescentes esse número atinge 66,6%.

“A laqueadura ainda continua sendo um dos métodos contraceptivos mais populares”, destaca o diretor técnico do HMDI, Denes Ribeiro, que também é médico ginecologista e obstetra. Entretanto, para realizar o procedimento, que é considerado irreversível, é preciso atender certos requisitos, o que impede a realização da técnica em todas as pacientes atendidas no SUS. Com o DIU de cobre aplicado no pós-parto ou no pós-abortamento, mulheres a partir dos 14 anos de idade poderão ser beneficiadas.

Além do DIU, o SUS oferece oito opções de métodos anticoncepcionais. Entre os demais contraceptivos disponíveis gratuitamente na rede municipal de saúde, destacam-se os preservativos, pílulas, anticoncepcionais injetáveis e de emergência, e as cirurgias de laqueadura e vasectomia. A Constituição Brasileira, por meio da L0ei n° 9.263, de 12 de janeiro de 1996,  assegura o planejamento familiar à população do país. A norma faz parte do conjunto de ações de atenção à saúde da mulher e do homem e garante a livre decisão de ter ou não filhos.

Mais informações sobre o DIU de cobre podem ser acessadas pelo site do Ministério da Saúde.

Da Prefeitura de Goiânia

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757