Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Médico cardiologista Frederico Costa Nacruth (Foto: Johann Germano/Portal 730)
fredericonacruth
A hipertensão afeta mais de 36 milhões de brasileiros e aumenta o risco de doenças cardíacas. No Brasil, as doenças cardiovasculares causam mais de 30% dos óbitos. No entanto, é possível controlar a doença.

O médico cardiologista, Frederico Costa Nacruth, concedeu entrevista exclusiva no quadro Saúde do programa Cidadania em Destaque desta segunda-feira (12). Segundo o especialista, um dos agravantes para o número crescente no país é o fato de a doença ser extremamente silenciosa.

Ouça a entrevista na íntegra

“Muitos pacientes chegam no consultório com diagnóstico de pressão alta e, na maioria das vezes, como é uma doença silenciosa, já chega no pronto-socorro com um quadro de emergência hipertensiva grave, ou seja, o paciente não sabia que tinha pressão alta e foi pego de surpresa por um AVC ou um infarto, que são o problema da pressão. A pressão alta lesiona os órgãos”, afirma.

Ainda segundo Nacruth, a hipertensão em muitos casos é assintomática, ou seja, o paciente não apresenta inicialmente sintomas. Entretanto, ele explica que alguns sinais podem indicar ou não se a pessoa é hipertensiva.

Cefaleia diária, dor de cabeça contínua, que não é esporádica, enxaqueca. Outra coisa que se pode observar é o ato de micção noturna, em que o paciente levanta várias vezes à noite para ir ao banheiro urinar. Estes sinais são uma pista. A gente chega a uma conclusão com o auxílio de exames complementares como mapa, esteira e teste ergométrico”, esclarece.

Um fator que tende a gerar um número cada vez maior de hipertensos em todo o planeta é a alimentação inadequada aliada à falta de exercícios físicos regulares. Uma dieta com muito sódio pode propiciar um quadro grave de hipertensão.

De acordo com a Sociedade Brasileiro de Hipertensão (SBH), em conjunto com a Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, estes são alguns passos poden ser seguidos para evitar este mal.

1) Estabeleça horários para as refeições distribuindo-as em 5 a 6 refeições / dia. Não pule as refeições, assim você não ficará sem se alimentar por muito tempo e evitará comer “dobrado”.

2) Consuma tipos variados de legumes, verduras e frutas. Use sempre aqueles de coloração intensa como os verdes escuro e amarelo.

3) Escolha alimentos ricos em fibras: verduras, frutas e legumes, leguminosas (feijões), cereais integrais como arroz, pão e farinhas (aveia, trigo etc).

4) Evite os alimentos ricos em açucares como doces, refrigerantes, chocolates, balas e outras guloseimas.

5) Consuma pouco sal de cozinha; evite alto teor de sal, temperos prontos e alimentos industrializados. Prefira ervas (salsa, coentro, cebolinha e orégano), especiarias e limão para tornar as refeições mais saborosas. Habitue-se a não usar o saleiro à mesa.

6) Diminua o consumo de gordura:

- Diminua a quantidade de manteiga e margarina que você consome;

- Evite frituras e alimentos industrializados que contém gordura vegetal hidrogenada entre seus ingredientes (ler no rótulo).

- Dê preferência para: leite desnatado, queijos brancos, carnes magras e alimentos preparados com pouco óleo e gorduras.

- Se possível, dê preferência à grelhados e cozidos no lugar das frituras

7) Pare de fumar e modere a quantidade ingerida de bebidas alcoólicas.

8) Beba água!

9) Mantenha um peso saudável.

IMC: Peso / altura2

VALOR DO IMC

CLASSIFICAÇÃO

Menor que 18,5

Baixo peso

18,5 a 24,99

Normal

25 a 29,99

Sobrepeso

Maior que 30

Obesidade

10) Tenha uma alimentação saudável e uma atividade física moderada e regular. Assim você terá um peso adequado que também é importante para o controle da Diabetes e Hipertensão.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757