Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Marcelo Lessa e Fábio Camargo nos estúdios da 730 nesta terça-feira (30) (Foto: Johann Germano/Portal 730)
fabiolessa
Será lançado na próxima segunda-feira (5), o Programa Proteção de Nascentes - etapa Bacia Hidrográfica do Rio Meia Ponte. O objetivo é proteger as principais nascentes do Estado de Goiás, além de capacitar, sensibilizar e orientar o maior número de pessoas por meio de treinamento de proteção destes mananciais.  

No dia do evento, estão programadas palestras, apresentação de caso de sucesso, distribuição de mudas, assinatura de termos, etc. O evento deve reunir produtores rurais e população do entorno da Bacia Hidrográfica do Rio Meia Ponte, representantes de entidades parceiras, de secretarias municipais da área ambiental e instituições e órgãos ligados à área ambiental.

O projeto é desenvolvido em parceria com Instituto Mauro Borges, Comando de Policiamento Ambiental e Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Meia ponte e Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás (CREA-GO).

O presidente do comitê de bacia do Rio Meia Ponte, Fábio Camargo, e também o gestor do departamento técnico do Senar Goiás, Marcelo Lessa, concederam entrevista exclusiva no Cidadania em Destaque desta terça-feira (30), na 730.

Ouça a entrevista na íntegra

De acordo com Fábio Camargo, o programa servirá também para sair do “chutômetro” e mapear o número exato de nascentes existentes ao longo da bacia.

“A gente precisa de dados para trabalhar em cima, e hoje nós não temos. É muito no ‘chutômetro’ para saber quantas nascentes têm. Depois deste trabalho, vamos conseguir enxergar na plataforma quantas nascentes têm, qual a vazão. Produzir água, que é o mais importante, quando a nascente é protegida produz mais água”, ressalta.

A nascente do Rio Meia Ponte fica em Itauçu, a 70 quilômetros de Goiânia. De acordo com Marcelo Lessa, a situação da água no município do interior do estado é bem diferente da realidade encontrada na capital.

“Por incrível que pareça, lá em Itauçu é possível entrar no rio, beber a água que nada acontece. Quando se chega em Goiânia, é preciso praticamente se empacotar para conseguir coletar a água, pois poderia se contaminar e pegar micose, uma bactéria, onde se encontram pneus, pedaços de carro e até cadáveres”, relata.

A Bacia Hidrográfica do Rio Meia Ponte abrange 38 municípios e tem mais de 500 quilômetros de extensão.

Confira a programação completa

8 horas – Inscrição

9 horas – Abertura

9h30 – Apresentação do Projeto pelo Senar Goiás

10 horas – Assinatura dos termos de cooperação entre o Senar Goiás e parceiros

10h30 – Palestra sobre ‘Conservação de água e solo no âmbito da gestão de recursos hídricos’ – Devanir Garcia dos Santos, coordenador de implementação de Projetos Indutores da Agência Nacional de Águas (ANA)

11h30 – Casos de sucesso

12 horas – Encerramento e distribuição de mudas de árvores

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757