Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

O governador Marconi Perillo (Foto: Reprodução)
marconi
Com o objetivo de dirimir dúvidas e apurar, ponto a ponto, os aumentos abusivos nos preços dos combustíveis em Goiânia, o governador Marconi Perillo afirmou nesta terça-feira (14) que determinou à superintendente do Procon Goiás, Darlene Araújo, que apure rapidamente e tome as medidas necessárias para punir os responsáveis, com ações administrativas e judiciais.

“Isso porque nós recebemos muitas denúncias e ela já me antecipou que recebeu algumas informações” nesse sentido, observou Marconi, que pediu a ela para trabalhar junto com o secretário da Fazenda, João Furtado, “que também já recebeu uma determinação minha para repassar todas as informações em relação aos custos de combustíveis que são repassados ao consumidor”, observou.

Segundo Perillo, a própria superintendente do Procon observou que já existem indícios de que há empresários praticando lucros abusivos.

As informações repassadas por Darlene Araújo ao governador contêm indícios de que há empresários do ramo de combustíveis cujos lucros passaram de 25% para até 80% na comercialização.

“Se isso for comprovado, e as medidas serão tomadas imediatamente, ações judiciais e ações administrativas rigorosas serão tomadas no âmbito do Procon, no âmbito da Secretaria da Fazenda e, por certo, no âmbito do judiciário. O nosso compromisso é com o consumidor, é com o cidadão goiano,” salientou o governador.

As distribuidoras de Goiânia e Senador Canedo foram fechadas na madrugada da última segunda-feira (13) por manifestantes contra o aumento dos combustíveis.

De acordo com o advogado do Sindiposto, Antônio Carlos de Lima, em entrevista à Rádio 730, dos 252 postos da Capital, 60 já não possuem algum tipo de combustível. Ainda segundo Lima, o município de Itaberaí não possui gasolina nem etanol nas bombas. 

O governo estadual já havia se manifestado nos últimos dias sobre o aumento dos combustíveis, e disse que o ICMS aplicado em Goiás é o mesmo há dez anos, e que não tem influenciado na alta dos preços nas bombas.

Confira o vídeo do governador, a seguir:

 

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757