Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Simeyzon Silveira (Foto: Larissa Artiaga/ Portal 730)
simeyzon3
O deputado estadual e presidente regional do PSC, Simeyzon Silveira, analisou nesta terça-feira (31), em entrevista concedida com exclusividade à Rádio 730, os principais pontos referentes aos cenários políticos regional e nacional.

O PSC é um dos partidos que formam a base do governo do presidente Michel Temer (PMDB). Durante o período que precedeu a votação da segunda denúncia contra Temer na Câmara Federal, o PSC cedeu uma vaga na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa para que o deputado Bonifácio de Andrada (PSDB), aliado de Temer, se mantivesse na relatoria da CCJ.

Ao ser questionado sobre sua própria posição em relação ao presidente, Simeyzon Silveira adotou um tom cauteloso. “Uma coisa é apoiar o Temer, outra coisa é trabalhar para que ele fique. Não apoio o Temer de forma alguma, acho que ele tem que ir para a cadeia junto com o Lula e essa turma toda que trouxe o Brasil até aqui. Agora, o país não suporta um novo processe de impeachment”, avalia.

Em Goiás o PSC faz parte da base ligada ao governador Marconi Perillo (PSDB). Sobre a política no estado, o deputado disse que, embora existam conversações, nenhuma candidatura está totalmente formalizada e que o PSC não tem ‘amarras’. “Quando falamos de alianças eleitorais, falamos de uma relação que precisa ser construída. Com relação ao partido, temos muita tranquilidade em construir um projeto dentro da base se a base entender que o PSC é importante. Porém, temos tido muitas dificuldades com o governo. Nós não temos nenhuma amarra. Estamos tranquilos para olhar o melhor caminho e ver por onde iremos caminhar”, pondera.

Acompanhe a entrevista completa:

 

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757