Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Nárcia Kelly (Foto: Portal 730)
narcia
A prefeita de Bela Vista, Nárcia Kelly (PTB) concedeu nesta terça-feira (17) uma entrevista exclusiva à Rádio 730, na qual analisou o crescimento urbano da cidade e falou sobre a segunda edição do evento ‘PTB Mulher’.

Em junho deste ano, o Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO), a prefeitura de Bela Vista, a Associação dos Construtores de Goiás e quatro empreendedores assinaram um termo de ajustamento de conduta visando adequar pontos da legislação que criavam entraves à expedição de alvarás para construção de unidades residenciais no município.

Na ocasião, a prefeitura se comprometeu a emitir alvarás para casas geminadas, que representam uma única unidade, mesmo que não estejam integralmente unificadas. Segundo Nárcia Kelly, a prefeitura não teve prejuízos com a ação, que objetiva fundamentalmente resolver o problema da habitação e da regularização fundiária em Bela Vista. “Tudo que foi feito dentro da prefeitura em relação aos alvarás, foi através de parecer da procuradoria. Não tivemos prejuízos. Houve cautela por parte do secretário de Finanças porque muitas pessoas agem de má fé. Bela Vista é uma cidade que está crescendo, as pessoas continuam construindo”, declara.

PTB Mulher

Na segunda-feira (16) a prefeita Nárcia Kelly, participou da segunda edição do evento ‘PTB Mulher’, que objetivou ressaltar a importância das mulheres no cenário político, além de pensar políticas de inserção feminina na política.

De acordo com a prefeita, o preconceito impede o aumento da participação das mulheres no âmbito político. “É comum imaginar que quando a mulher está no poder, há um homem por trás, seja um pai ou um marido. O papel da mulher na sociedade é exercer tudo aquilo que ela considerar importante. O papel da mulher é enxergar que somos mais de 50% dos eleitores e não ocupamos nem 10% dos cargos de decisão”, afirma.

De acordo com dados do Banco Mundial (Bird) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o Brasil ocupa a 115ª posição no ranking mundial de presença feminina no Parlamento dentre os 138 países analisados pelo Projeto Mulheres Inspiradoras (PMI). 

As nações que apresentam maior percentual de mulheres no Parlamento são Ruanda (63,8%), Bolívia (53,1%), Cuba (48,9%), Islândia (47,6), Suécia (43,6%), Senegal (42,7%), México (42,4%), África do Sul (41,8%), Equador (41,6%) e Finlândia (41,5%). No Parlamento brasileiro, há somente 10% de mulheres. Os Estados Unidos detêm a 74ª colocação, com 19,4% de mulheres no Parlamento. Na comparação, o Brasil se aproxima dos países do Oriente Médio e do norte da África (8,9%) e dos países árabes (9,5%).

Acompanhe a entrevista completa:

 

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757