Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Carlos Antônio (Foto: Larissa Artiaga/ Portal 730)
deputadocarlosantonio
O deputado estadual Carlos Antônio (PSDB) afirmou nesta sexta-feira (13), durante entrevista concedida com exclusividade à Rádio 730, que o PTB merece um espaço na chapa majoritária da base ligada ao governador Marconi Perillo (PSDB).

Vários nomes da base já manifestaram o desejo de ocupar uma das vagas na chapa, como por exemplo, o senador Wilder Morais (PP), a senadora Lúcia Vânia (PSB), o deputado federal Jovair Arantes (PTB), o secretário estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos Vilmar Rocha (PSD), entre outros.

Ao analisar as articulações políticas dos governistas, o deputado Carlos Antônio ponderou que o ex-senador Demóstenes Torres (PTB) é um nome forte. No entanto, ele não soube precisar qual cargo Demóstenes disputará se conseguir reverter a decisão judicial que impede sua candidatura. “É um baita nome. Goiás não pode abrir mão do ex-senador Demóstenes. O que aconteceu, aconteceu. Ele foi inocentado pela justiça em quase todas as acusações. A base não pode abrir mão do PTB, é um partido que tem nomes valiosos”, avalia.

Ao comentar o atual cenário político em Anápolis, Carlos Antônio, que se candidatou à prefeitura da cidade no ano passado e não conseguiu ir para o segundo turno, declarou que não pretende tentar ser prefeito novamente. “Fui candidato uma vez e não serei mais. Acho que não é para mim. Na Campanha majoritária, as vísceras são colocadas de fora, de modo que a população entende que é melhor votar no escuro. A Campanha em si é muito desleal, não compensa”, argumenta.

Além disso, ao avaliar a gestão do atual prefeito de Anápolis, Roberto do Órion (PTB), o deputado afirmou que apesar de estar fazendo uma administração satisfatória, o prefeito foi eleito por meio de estratégias de marketing eficazes. “Foi um marketing muito bem feito. Acho que até que a população escolheu bem, está sendo um bom prefeito. Na Campanha como um todo o que menos se discute é plano de governo, e eu acho isso uma aberração”, enfatiza.

Acompanhe a entrevista completa:

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757