Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail


Giuseppe Vecci (Foto: Larissa Artiaga/ Portal 730)
vecci5
O deputado federal Giuseppe Vecci (PSDB) afirmou nesta segunda-feira (09), durante entrevista concedida com exclusividade à Rádio 730, que a situação política do país poderia piorar com a saída do presidente Michel Temer (PMDB).

Nesta semana, mais curta por causa do feriado de 12 de outubro, a Câmara dos Deputados analisará a segunda denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente pelos crimes de obstrução da justiça e organização criminosa. No dia 02 de agosto, Giuseppe Vecci foi um dos goianos que votou a favor do arquivamento da primeira denúncia contra o presidente.

Favorável ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), o parlamentar admitiu que o governo Temer enfrenta problemas do ponto de vista ético. Contudo, ele disse que votará a favor do arquivamento da nova denúncia, por acreditar que a saída do presidente geraria instabilidade política. “Fica uma situação política desconfortável (em relação às denúncias contra Temer). Sinto pelo Brasil. Tenho tristeza por estarmos passando por um momento como esse. Mas se o Temer sair, fica quem? O Rodrigo Maia? Ele também está sendo investigado”, ressalta.

Com relação ao cenário político regional, Vecci comentou a disputada acirrada por uma vaga na chapa majoritária da base. Entre os governistas, os únicos dois nomes dados como praticamente certos na chapa para as eleições de 2018 são o do vice-governador José Eliton (PSDB), pré-candidato ao governo, e do governador Marconi Perillo (PSDB), pré-candidato ao senado.

Ao avaliar as alternativas, Vecci evitou fazer prognósticos e destacou que a disputa pode mudar se Marconi for eleito presidente nacional do PSDB. “Estou trabalhando para que Marconi seja eleito presidente do partido. Eu acho que na hora certa nós vamos encontrar um denominador comum. O PSDB sozinho não ganha eleição, precisamos da base aliada. Eu não gostaria de externar minhas preferências agora”, pondera.

São considerados nomes fortes para assumir as vagas na chapa: a senadora Lúcia Vânia (PSB), o senador Wilder Morais, o deputado federal Jovair Arantes (PTB), o secretário estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos Vilmar Rocha (PSD), entre outros.

Acompanhe a entrevista completa:

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757