Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Luis Cesar Bueno (Foto: Larissa Artiaga/ Portal 730)
luiscesarbueno
O deputado estadual Luis Cesar Bueno (PT) disse nesta terça-feira (26), durante entrevista concedida com exclusividade à Rádio 730, que os partidos de oposição aos governos petistas cometeram dois ‘grandes erros’; promover o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e não ter conseguido prender o também ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em julho deste ano, o juiz federal Sérgio Moro condenou Lula, em primeira instância, a nove anos e meio de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá. No entanto, alegando ‘prudência’, Moro não decretou a prisão preventiva de Lula, que recorre em liberdade.

De acordo com o deputado Luis Cesar Bueno, o andamento do processo não impedirá a candidatura do líder petista nas eleições do ano que vem. “O presidente Lula não foi julgado ainda em nenhum fórum colegiado, ele foi julgado por um juiz parcial, tendencioso, como estamos tentando provar. O prazo para impedir a candidatura de Lula já passou. Os adversários do PT cometeram dois erros, o primeiro foi tirar a presidente Dilma e o segundo foi não ter prendido Lula até hoje”, declara.

Além da condenação a nove anos e meio de prisão, o ex-presidente foi obrigado a pagar uma multa no valor de R$ 669,7 mil reais pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Se for condenado em instâncias superiores, Lula ficará proibido de ocupar um cargo ou função pública por sete anos.

Horário de Verão

Além de analisar o cenário político nacional, o deputado Luis Cesar Bueno também comentou a rejeição ao projeto de sua autoria, que previa o fim do Horário de Verão em Goiás.

No dia 12 de setembro, os deputados goianos apreciaram o veto do Governo do Estado, que barra o projeto de lei que extingue o horário de verão em Goiás. Ao manterem o veto, por não conseguirem os 25 votos necessários para sua derrubada (19 não contra 9 sim), os deputados decidiram que os goianos continuarão tendo que adiantar seus relógios em uma hora entre os meses de outubro e fevereiro.

Segundo Luis Cesar Bueno, a votação foi turbulenta, fato que contribuiu para que o Horário de Verão fosse mantido. “O governo alegou que o projeto é inconstitucional. Todas as votações que nós tivemos na assembleia foram unânimes. Nós perdemos essa sessão por apenas dois votos. Foi uma sessão extremamente tumultuada, porque os partidos da base do governo queriam encaminhar os votos. Muitos votaram não e tinham que votar sim. Lamentavelmente a votação não foi anulada”, afirma.

Após a manutenção do veto governista, o deputado estadual Bruno Peixoto (PMDB) apresentou, no dia 20 de setembro, uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que pode tornar sem efeito o horário de verão no Estado de Goiás.

A PEC aprovada preliminarmente foi encaminhada para a Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) da Assembleia, onde vai aguardar o prazo de realização de dez sessões ordinárias para começar a ser apreciada na CCJ. Nesse período poderá receber emendas e ser debatida em audiência pública. Quando a proposta for apreciada na CCJ, retornará para o plenário, onde, para ser votada precisa de quórum qualificado, ou seja, 25 deputados presentes.

Acompanhe a entrevista completa:

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757