Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail


Foto: Portal730
alexandrebaldy
O deputado federal Alexandre Baldy concedeu nesta terça-feira (08) uma entrevista exclusiva à Rádio 730. Baldy foi um dos deputados goianos que votaram a favor do arquivamento da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB), pelo crime de corrupção, na Câmara.

A denúncia contra Temer, pelo crime de corrupção, foi rejeitada pelos deputados na quarta-feira (03). 263 deputados votaram com o relatório do deputado Abi-ackel (PSDB-MG), ou seja, a favor do arquivamento da denúncia; outros 227 votaram "não", ou seja, pelo prosseguimento da denúncia ao Supremo Tribunal Federal (STF).

No ano passado, Alexandre Baldy votou a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Na ocasião, o deputado criticou a gestão da petista e afirmou que haviam provas suficientes para comprovar irregularidades no governo. Ao analisar a situação do atual presidente, Baldy disse que votou pelo arquivamento da denúncia contra Temer para preservar a economia. “A abertura da ação penal foi suspensa, ela não foi interrompida. No dia 01 de janeiro de 2019 o processo contra o presidente será continuado. O Supremo Tribunal Federal (STF) não teria condições de julgar o processo do presidente no prazo de 180 dias”, explica.

Além disso, o deputado disse que não foi incoerente ao ter votar pela saída e de Dilma e depois pela permanência de Temer. “Não houve incoerência de modo algum. Nós entendemos que o Brasil naquele momento (governo Dilma) passava por uma crise econômica e política. O julgamento da Câmara dos Deputados é mais um julgamento político do que jurídico”, resume Baldy.

Saída do Podemos

Após votar a favor do arquivamento da denúncia contra Michel Temer, Alexandre Baldy perdeu a liderança do Podemos, antigo PTN. Com a perda da liderança, o deputado decidiu deixar o partido.

Segundo Baldy, desentendimentos com a direção do Podemos provocaram sua saída da agremiação. “Comuniquei a presidente do partido (deputada Renata Abreu) que irei me desfiliar. Esse é um processo longo (desfiliação). Eu infelizmente tomei essa decisão por causa dessa dificuldade que eu tive em anunciar minhas posições”, justifica.

Apesar de confirmar a desfiliação, o deputado garante que ainda não decidiu qual será seu novo partido. "Tenho a alegria de poder conversar com várias siglas para poder escolher qual rumo tomar", pondera.

Ouça a entrevista completa:

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757