Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Reprodução/ Internet
aedes
A Celg Distribuição e a Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO) serão parceiras em ação de combate ao mosquito Aedes aegypti. O projeto “Mapeamento de foco da dengue por meio de leituristas” utiliza os profissionais responsáveis por fazer a leitura do consumo de energia nos imóveis, no monitoramento do foco do mosquito e de casos suspeitos de dengue, zika e chikungunya.

Na próxima segunda-feira, dia 31, das 8h30 às 9h30, no auditório da Celg D – rua 02 s/n Jardim Goiás -, o coordenador geral de vigilância e controle ambiental de vetores da SES-GO, Marcello Rosa, treinará os leituristas da empresa para participarem do projeto. Cerca de 300 funcionários que atuam em Goiânia participarão do curso.

O projeto já é realizado nos estados do Ceará e do Rio de Janeiro. Assim como os agentes de saúde, os leituristas possuem contato com os moradores e podem enviar informações que serão utilizadas pelo município no controle e monitoramento do Aedes. A ação terá início em Goiânia e será estendida a outros 235 municípios goianos.

Os leituristas observarão, por exemplo, possíveis focos em entulhos, fossas e caixas d’águas destampadas. Os funcionários podem também captar informações sobre número de pessoas com suspeita de terem contraído dengue, zika e chikunguya, auxiliando o sistema de monitoramento da prefeitura com informações que poderão ser utilizada futuramente na comparação de dados do mapeamento das doenças.

Marcello Rosa afirma que o projeto incentiva a participação da comunidade no combate ao mosquito. “O importante é que teremos mais 300 pessoas que atuarão como vigilantes contra os focos”, observa.

Na capital, os dados coletados serão levados para o Centro de Informações e Decisões Estratégicas em Saúde (Conecta SUS),  e serão inclusos em mapas. “A partir das informações coletadas pelos leituristas será possível cruzar dados que foram fornecidos pelos agentes de endemias da prefeitura”, explica Marcello Rosa.

Do Governo de Goiás

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757