Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Fábio Sousa (Foto: Portal 730)
fabiosousa3
O deputado federal Fábio Sousa (PSDB) concedeu nesta segunda-feira (17) uma entrevista exclusiva à Rádio 730. Durante o diálogo com os jornalistas Cléber Ferreira, Eduardo Horácio e Rubens Salomão, o deputado analisou a permanência do PSDB na base do presidente Michel Temer.

A cúpula peessedebista ainda não definiu se a legenda deixará, ou não, a base de Temer. Contudo, essa indecisão desagrada alguns membros do partido – entre eles Fábio Sousa - que desejam o rompimento do PSDB com o PMDB.

Segundo Fábio Sousa, o número de peessedebistas que deseja a saída da base governista tem aumentado. “O PSDB conversa muito mas não toma uma decisão. No começo erámos uma minoria (políticos que defendem o rompimento com o governo Temer) mas com o tempo estamos nos tornando a maioria dentro do partido”, pondera o deputado.

Ao fazer uma análise sobre o futuro do PSDB, especificamente no que tange às eleições de 2018, Sousa se diz impressionado com a postura de alguns peessedebistas. “Me impressiona muito o conservadorismo negativo de uma turma que acredita que haverá salvação por meio do atual modelo político. O atual modelo político se exauriu no Brasil. Depois da Operação Lava Jato a política mudou”, assevera.

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara rejeitou, por 40 votos contra 25, a denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB-SP) – pelo crime de corrupção passiva - contrariando o parecer do deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ), relator na comissão e favorável à abertura de um processo contra o presidente da República. 

Entre os goianos, apenas o deputado Fábio Sousa votou a favor da admissibilidade da denúncia. Thiago Peixoto (PSD), Magda Mofatto (PR) e Daniel Vilela (PMDB) votaram contra o parecer de Zveiter. Delegado Waldir (PR) e João Campos (PRB) foram afastados da CCJ após terem anunciado voto favorável à admissibilidade.

A denúncia ainda será analisada pelo plenário da Câmara, onde são necessários 342 votos para aprovar a abertura de um processo penal contra o presidente Temer no Supremo Tribunal Federal. 

Confira a entrevista na íntegra:

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757