Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Reprodução/ Internet
camaramunicipal
A Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga as contas da prefeitura de Goiânia no período 2008-2016 promoveu nesta quarta-feira, 31, sessão de acareação entre o ex e o atual secretário de Planejamento, Sebastião Ferreira LeiteJuruna e Agenor Mariano, respectivamente.

Presidida por Zander Fábio (PEN), a comissão é formada por Jorge Kajuru (PRP), relator; Priscilla Tejota ( PSD), Tiãozinho Porto (Pros), Oséias Varão (PSB), Jair Diamantino (PSDC) e Kleybe Morais (PSDC). Participaram da acareação também vereadores que não fazem parte da CEI, como Paulo Daher (DEM), Alysson Lima (PRB), Vinícius Cirqueira (Pros), Tatiana Lemos ( PC do B), Cabo Senna (PRP), Juarez Lopes (PRTB) e Gustavo Cruvinel ( PV).

Divergências

Inicialmente, Kajuru apresentou vídeos de oitivas já realizadas, com declarações contraditórias feitas por Sebastião Juruna e Agenor Mariano à respeito de um contrato com empresa do marqueteiro Ademir Lima, no valor de R$ 762 mil. Em depoimento anterior, Mariano afirmou que foi procurado por Juruna que solicitou o pagamento deste contrato e que não o fez porque o mesmo não foi “legal” por não cumprir o rito de licitação. Por sua vez, também em oitiva anterior, Juruna negou que tivesse ocorrido o fato.

Na acareação de hoje, Juruna mudou a versão e confirmou que houve o encontro e que ele estava acompanhado de Ademir Lima. Questionado por não ter citado a presença do marqueteiro no encontro, Mariano disse que só respondeu o que lhe foi perguntado. Um novo vídeo foi apresentado onde Agenor Mariano disse que “não poderia pagar o contrato porque ele apresenta pendências insanáveis”, acrescentando que “estamos aterrorizados com as provas substanciais da irresponsabilidade” da gestão de Juruna. Em outro vídeo, Juruna disse que iria “ processar Agenor Mariano por calúnia e difamação”.Tanto Agenor quanto Juruna amenizaram as suas respectivas críticas feitas um ao outro anteriormente

Marcada por momentos tensos, por várias vezes, Zander Fábio teve de interferir na acareação e pedir o desligamento do microfone usado por Agenor Mariano ao ser questionado pelo relator da CEI.

Oséias Varão perguntou a Juruna quais os motivos que o levaram a contratar uma empresa sem os devidos procedimentos formais. “Eu conheço de contratos em administração pública. Por quinze anos trabalhei nesta área e por isso sei quando existe ilegalidade”, afirmou Oséias. Logo depois, o ex-secretário criticou o atual corpo jurídico da Prefeitura de Goiânia. “São pessoas que confundem convênio com doação”, destacou.

Alegando problemas de saúde ao presidente Zander Fábio, Agenor Mariano deixou o Auditório Carlos Eurico, onde estava sendo realizada a acareação. Já Sebastião Juruna saiu da sala sem dar nenhuma explicação aos membros da CEI.

Manifestações

Jorge Kajuru disse que “ hoje vivemos um dia lamentável nesta Casa. Os dois depoentes combinaram previamente suas falas e nos trataram como idiotas. Fomos ludibriados”. Priscilla Tejota fez coro à críticas feitas à comissão, afirmando que “aqui não tem Pilates” e que esta CEI irá cumprir sua missão.

Requerimentos

Ao final da sessão, Priscilla Tejota apresentou requerimento aprovado pela maioria solicitando à OAB-GO e cartórios a relação de todos os processos em que Sebastião Juruna tenha atuado como patrono no período de 2010 e 2017. Kajuru requereu nova convocação de Juruna para depor na CEI. A votação ficou empatada com três votos favoráveis (Priscilla, Kleybe e o próprio autor) e três votos contrários (Oséias Varão, Tiãozinho Porto e Jair Diamantino), a definição ficou para a próxima reunião da Comissão. 

Texto escrito por: Jô Almeida

Da Câmara Municipal

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757