Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Giuseppe Vecci (Foto: Portal 730)
vecci2
O deputado federal e presidente do PSDB em Goiás, Giuseppe Vecci, concedeu uma entrevista exclusiva à Rádio 730 nesta segunda-feira (15). Na ocasião, Vecci confirmou o nome do atual vice-governador do estado, José Eliton (PSDB), como representante da base para o cargo de governador nas eleições de 2018.

A base definirá – durante Convenção, ainda sem data marcada - os nomes que preencherão duas vagas para concorrer ao Senado e uma vaga para o governo estadual. A escolha dos nomes tem gerado discussões dentro da própria base governista. Em março deste ano, o governador Marconi Perillo (PSDB) declarou abertamente sua pretensão de concorrer ao Senado e afirmou ainda que votará em Wilder Morais (PP) para a outra vaga do legislativo e em José Eliton para o governo.

A escolha do governador desagradou alguns membros da base, em especial a senadora Lúcia Vânia, que pretende reeleger-se. Em entrevista concedida em março à Rádio 730, a parlamentar disse que se negava a reconhecer Eliton como candidato, em referência à inexperiência política do vice-governador.

Com opiniões contrárias às da senadora, o deputado Giuseppe Vecci reiterou sua confiança em José Eliton e sugeriu que votará junto com Marconi na Convenção. “Eu acho que o José Eliton está sendo fortalecido por seu trabalho, equilíbrio e moderação. Ele é uma pessoa que sabe fazer política apesar de não ter sido eleito diretamente para cargos proporcionais. Sem dúvidas ele é o nome que nós temos”, assinala.

Odebrecht

Em abril deste ano, o ministro Edson Fachin - relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF) – divulgou uma lista contendo nomes de políticos citados por delatores na Lava Jato. Os parlamentares são suspeitos de corrupção.

Sete goianos estão sendo investigados. São eles: Marconi Perillo (PSDB), Iris Rezende (PMDB), Sandro Mabel, Demóstenes Torres, o ex-prefeito de Trindade, Ricardo Fortunato, Daniel Vilela (PMDB) e o pai dele, Maguito Vilela (PMDB). Iris Rezende e Demóstenes Torres estão sendo investigados pelo Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO). Ricardo Fortunato e Sandro Mabel estão sendo investigados pela Justiça Federal. Marconi Perillo será investigado pelo Supremo Tribunal de Justiça (STJ), órgão que possui competência para julgar os líderes do Executivo estadual.

O deputado Giuseppe Vecci reconhece que a citação poderá prejudicar Marconi no pleito do ano que vem, mas reafirma que é preciso cuidado antes de julgar cada caso. “Momentaneamente há sim um desgaste político, mas ele (Marconi) disse que vai checar item por item dessa questão. Eu confio nele (Marconi) e acho que o governador vai ter condições de esclarecer essa situação referente à Lava Jato”, pondera.

Reforma Trabalhista

A proposta de Reforma Trabalhista foi aprovada na Câmara Federal na quinta-feira (27) por 296 votos a favor e (eram necessários pelo menos 257) e 177 contrários.

Entre os deputados goianos, além de Vecci, votaram a favor da reforma: Célio Silveira (PSDB), Daniel Vilela (PMDB), Fábio Sousa (PSDB), Alexandre Baldy (PTN), Heuler Cruvinel (PSD), Jovair Arantes (PTB), Lucas Vergílio (Solidariedade), Magda Mofatto (PR), Marcos Abrão (PPS), Pedro Chaves (PMDB), Roberto Balestra (PP) e Thiago Peixoto (PSD).

Vecci defendeu seu voto favorável e disse que não tem medo de expor seu posicionamento. “A Reforma Trabalhista foi muito positiva e não retirou nenhum direito dos trabalhadores. E no meu entender, além da Reforma Trabalhista, a Reforma Previdenciária também é necessária para que nós possamos melhorar as condições de governabilidade em 2018”, justifica Giuseppe Vecci.

Dos políticos goianos, apenas Flávia Morais (PDT), Delegado Waldir (PR) e Rubens Otoni (PT) votaram contra a Reforma Trabalhista. O texto segue para votação no Senado. A reforma só será definitivamente implantada se passar no Senado e for sancionada pelo presidente Michel Temer.

Confira a entrevista na íntegra:

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757