Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Arquivo/Rede Pró-Aprendiz/Divulgação
brbd
Os jovens que ainda sonham com o ingresso no mercado de trabalho por meio da Lei de Aprendizagem tiveram uma importante vitória nesta quarta-feira (26), em Brasília (DF), quando o relator do projeto da Reforma Trabalhista, deputado federal Rogério Marinho (PSDB-RN), confirmou que não haveria alterações na CLT que impactassem a referida lei.

As instituições de promoção do trabalho se uniram para evitar que fosse aprovada qualquer tipo de mudança que enfraquecesse a lei promulgada em 2000. A auditora fiscal do trabalho, Dra. Katlen Lima, acredita que as tentativas de alteração estão baseadas na falta de conhecimento dos legisladores.

No texto inicialmente apresentado na Reforma Trabalhista, os sindicatos teriam autonomia para definir algumas diretrizes e isto foi o que preocupou os auditores fiscais e as entidades, como explica Katlen Lima.

O presidente da Rede Nacional de Aprendizagem, Promoção Social e Integração (Renapsi), Lucas Meira, parabenizou os jovens pela conquista.

A Fundação Pró Cerrado, a Renapsi e o CIEE se uniram para evitar a alteração da lei. Estima-se que haja mais de 1 milhão de vagas disponíveis e apenas 400 mil jovens estejam trabalhando no Brasil com o apoio destas entidades para acesso ao primeiro emprego e poderiam ser prejudicados.

Com informações do repórter Vinícius Tondolo

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757