Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail


Ormando José Pires (Foto: Divulgação)
comurgf
*Com informações do repórter Gerliézer Paulo O ex-presidente da Comurg, e atual diretor administrativo, Ormando José Pires, compareceu à Câmara Municipal de Goiânia nesta quarta-feira (5) para prestar esclarecimentos aos vereadores sobre o valor referente a quinquênio que recebeu nos meses de janeiro e fevereiro, e também a respeito de uma manifestação contra os vereadores Elias Vaz (PSB) e Jorge Kajuru (PRP), quando estes visitaram a sede da companhia.

Em entrevista à 730, Ormando José nega que tenha organizado a manifestação. Sobre o salário, o ex-presidente pondera que o montante é fruto de um acordo entre o sindicato que representa a categoria e a prefeitura de Goiânia.

O vereador Elias Vaz, autor do requerimento que solicitou a presença de Ormando José na Câmara, diz que o valor recebido pelo diretor da Comurg é uma vergonha, e que os altos salários da companhia são oriundos de uma negociata.

O vereador denunciou em março o gasto mensal da prefeitura de R$ 420 mil com o pagamento de quinquênio a apenas 40 servidores. Um deles chega a ganhar por mês R$ 24 mil só de quinquênio, sem contar outros benefícios.

Um dos beneficiados é justamente Ormando José Pires. Segundo dados do Portal da Transparência da prefeitura, o ex-presidente do órgão tem vencimento de R$ 2.394 e recebeu em fevereiro quinquênio de R$ 21.690, quase dez vezes o valor do salário base.

Ouça a reportagem completa de Gerliézer Paulo

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757