Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Lucas Vergílio. (Foto: Reprodução/ Internet)
lucasvergilio
O deputado federal Lucas Vergílio (SD) concedeu nesta quinta-feira (30) uma entrevista exclusiva à Rádio 730. Em pauta, as articulações políticas da base governista para as eleições de 2018.

Após divergências com o PMDB, o Solidariedade voltou a integrar a base governista em 2016, ao apoiar a candidatura de Vanderlan Cardoso (PSB) à prefeitura de Goiânia. Segundo Lucas Vergílio, o partido tomou uma decisão acertada ao voltar para a base. “Deixamos de apoiar o PMDB porque fomos preteridos por eles. Após as eleições municipais, quando nós decidimos apoiar o Vanderlan, nós vimos que tomamos a decisão certa”. afirma

A aliança formada entre o SD e o PSDB faz parte das articulações governistas para 2018. Até o momento a base não votou em definitivo os nomes de seus representantes nas próximas eleições. Entretanto, o governador Marconi Perillo (PSDB) deixou claro seu posicionamento. Durante o Encontro Estadual do Partido Progressista (PP), realizado no último dia 17 de março, o governador declarou abertamente seu voto no presidente regional do Partido Progressista (PP), senador Wilder Morais (PP), como seu favorito ao senado.

“Wilder se revelou um senador municipalista. E será reeleito em 2018 para o Senado. A chapa não pode prescindir de sua garra.  Estou aqui por você ser fiel. E você é um cara fantástico”; declarou Perillo.

Além de apoiar Wilder para o senado, o governador disse que votará em José Eliton (PSDB) para o governo. Lucas Vergílio diz que respeita a posição de Perillo, contudo, o parlamentar evitou falar em definições. “Está muito cedo para falar em 2018, eu acho que a gente tem que se preocupar com 2017. O jogo ainda nem começou, por enquanto são só especulações. Quem fizer o dever de casa em 2017, vai sair na frente em 2018”, pontua.

Terceirização

Dentre as mudanças que afetam diretamente empregadores e trabalhadores, um dos projetos mais polêmicos aprovados na Câmara Federal diz respeito à terceirização das atividades laborais.

O projeto - de autoria do Executivo - foi aprovado nesta quarta-feira (22) por 231 votos a favor, 188 contrários e oito abstenções. A implantação da lei ainda está sujeita à sanção do presidente Michel Temer.

O deputado Lucas Vergílio, que se posicionou a favor da terceirização em 2015, esclarece porque mudou de opinião e votou contra o projeto na semana passada. “Esse projeto da terceirização teve meu voto contrário. Não votei a favor do projeto porque ele não foi debatido com a sociedade. A meu ver, a condução desse projeto foi errada” justifica.

Confira a entrevista na íntegra:

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757