Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Thiago Peixoto (Foto: Reprodução/ Internet)
thiagopeixoto
O deputado federal Thiago Peixoto (PSD) concedeu nesta quarta-feira (29) uma entrevista exclusiva à Rádio 730. Em pauta, as articulações políticas entre os partidos para 2018 e a Reforma da Previdência.

Secretário do governador Marconi Perillo (PSDB) entre os anos de 2011 e 2016, Thiago Peixoto tem feito críticas aos nomes escolhidos para o secretariado. Segundo o deputado, a nova geração de parlamentares não tem tido espaço no governo. “Isso não se limita a geração. Nós temos ótimas pessoas, com grande capacidade, que poderiam trazer uma nova energia para o governo. Quando você tem um secretário com esse perfil, você consegue renovar o diálogo com a sociedade”, assinala

A reforma do secretariado está ligada às articulações políticas da base governista para as eleições de 2018. Paralelamente às escolhas para cargos do primeiro escalão, os políticos da base se reúnem e conversam com o intuito de firmar alianças desde o ano passado.  

Durante o Encontro Estadual do Partido Progressista (PP), realizado no último dia 17 de março, o governador Marconi Perillo declarou abertamente seu voto no presidente regional do Partido Progressista (PP) , senador Wilder Morais (PP), como seu favorito ao senado.

“Wilder se revelou um senador municipalista. E será reeleito em 2018 para o Senado. A chapa não pode prescindir de sua garra.  Estou aqui por você ser fiel. E você é um cara fantástico”; declarou Perillo

Todavia, ao ter publicado sua preferência, Marconi desagradou parte da base. Em entrevista à Rádio 730, o deputado federal Roberto Balestra (PP), por exemplo,  classificou a atitude do governador como um “ato precipitado”. Além disso, Balestra criticou Wilder duramente ao dizer que este não tinha legitimidade para presidir o PP.

Em referência ao futuro da base, Thiago Peixoto assegurou que ainda não há nada definido. “Eu acho que não é o ponto de fechar uma porta para o PSD. A política vive de circunstâncias que são alteradas, novos cenários e possibilidades. O senador Wilder vem fazendo um trabalho ativo nos últimos meses na política, não fazia antes, passou a fazer recentemente. Mas eu entendo que nós temos outros nomes com condições de disputar o senado e especialmente eu defendo o nome do deputado Vilmar Rocha (PSD)”.

Reforma da Previdência

No âmbito nacional a Reforma da Previdência se constitui como uma das principais pautas que tramitam no congresso nacional. Segundo o deputado federal, a Reforma é necessária para equilibrar as contas do governo. “Vai melhorar mas nem tudo que está sendo reivindicado vai poder ser feito. A Reforma não é um desejo, ela é uma necessidade. Nós temos que corrigir a previdência porque as consequências de não corrigi-la são gravíssimas. Em poucos anos poderemos não ter dinheiro para pagar as aposentadorias. Além disso, a previdência gera déficit para os cofres do governo”.

A Reforma proposta pelo governo do presidente Michel Temer fixa idade mínima de 65 para requerer aposentadoria e eleva o tempo mínimo de contribuição de 15 anos para 25 anos, além de alterar a idade de aposentadoria e o tipo de contribuição dos trabalhadores rurais. Ainda não há data definida para votação da proposta.

Confira a entrevista na íntegra:

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757