Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Site Câmara Gyn/Divulgação
ceitranspo
Os membros da Comissão Especial de Inquérito (CEI) que vai investigar o transporte coletivo em Goiânia se reuniram pela primeira vez na manhã dessa quinta-feira (23). O objetivo era escolher o presidente, o vice e o relator.

No entanto, o que tinha tudo pra ser um processo pacífico acabou se transformando em confusão entre o vereador Anselmo Pereira e parlamentares que discordaram da maneira como o ex-presidente da Câmara conduziu a votação.

O vereador Clécio Alves (PMDB) foi eleito presidente da CEI e aponta o que será investigado na Comissão. O parlamentar salienta que quer envolver os usuários e também as Câmara Municipais de cidades que fazem parte da Rede Metropolitana de Transporte Coletivo no debate. Em resposta à reportagem 730, o vereador garantiu que a comissão não vai terminar em pizza.

“Eu acredito que não é dizendo, é fazendo. Ao final pode ter certeza que pizza vai passar muito longe do trabalho que essa Comissão vai ter de fazer”, afirma.

O vereador Anselmo Pereira (PSDB) foi eleito relator da CEI. O tucano conta como será o relatório, cujo período para ser apresentado é de 90 dias. Ele menciona ainda a instalação dos parquímetros em Goiânia.

“A primeira sugestão é de que alguns quesitos que são elaborados em Goiânia, entre eles o equipamento de parquímetro que nós vamos colocar, que seja também subsidiador do transporte, porque todo mundo em toda categoria quer andar de graça. Só que essa conta quem paga sou eu e os demais que andam ou os que não andam, pagam do mesmo jeito. Chega de benevolência”, pontua.

Durante a votação para escolha do relator, Anselmo Pereira, que presidia a reunião, conversou com o vereador Clécio Alves para que ele revisse a abstenção que proferiu para votar nele. Desta forma o tucano empatou em três votos com o parlamentar Sargento Novandir (PTN), e venceu a disputa por ter o voto de minerva. O petenista não concordou com a manobra e reclamou da forma como aconteceu o pleito.

“Tinha sido acordado para o vereador Clécio Alves ser o último a votar. E conforme a quantidade de voto que outro vereador já tinha, Anselmo Pereira antecipou a sua votação. Quando chegou ao final e ele viu que o Clécio Alves se absteve da votação, eu tinha sido eleito relator. Aí eles conversaram e mudaram a maneira de votar. Dessa maneira não pode acontecer, temos de fazer uma votação limpa e transparente”, ponderou.

Os vereadores Sargento Novandir, Paulo Daher (DEM), Alysson Lima (PRB) e Emilson Pereira (PTN) prometeram que não assinarão a ata da eleição da CEI e, desta forma, cancelarão o processo para a realização de um novo pleito.

Com informações do repórter Gerliézer Paulo

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757