Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Petras de Souza/ Portal 730
danielvilela
Na primeira rodada de reuniões com a militância para discutir o projeto político do PMDB para 2018, o presidente estadual do partido, deputado federal Daniel Vilela, defendeu a construção de uma ampla frente política da oposição para derrotar o grupo que atualmente governa o Estado. Os encontros, realizados nesta sexta-feira (17) e sábado (18), em Porangatu e São Luiz do Norte, reuniram lideranças de 26 municípios da Região Norte e Vale do São Patrício.

“Temos que buscar novos partidos e também novos quadros qualificados da sociedade para fortalecer nosso grupo, agregando pessoas capazes de colaborar efetivamente com um novo modelo de política e de gestão. É fato que esse governo se esgotou, está administrando de forma displicente e não consegue entregar resultados palpáveis aos goianos. Mas para substituí-lo, temos que nos preparar para enfrentar a máquina com boas propostas e bons quadros, que assegurem a plena realização dos projetos que apresentaremos”, afirmou Daniel Vilela em São Luiz do Norte. 

Candidaturas

O nome de Daniel Vilela foi defendido de forma unânime pelas lideranças do Norte goiano e Vale do São Patrício para ser o pré-candidato do PMDB ao governo do Estado. “É a renovação que o PMDB tanto esperava. Estamos com Daniel e não abrimos mão”, afirmou o prefeito de Campos Verdes e presidente da Federação Goiana dos Municípios (FGM), Haroldo Naves, ao discursar em São Luiz do Norte. Bruno Peixoto disse que o diretório metropolitano do partido, o qual ele preside, vai assinar um documento ratificando a decisão de lançar Daniel.

Os presentes aos dois encontros também defenderam o nome de Pedro Chaves para ser o candidato do partido a uma das vagas ao Senado em 2018. O trabalho do deputado em Brasília em benefício dos municípios foi muito elogiado pelos prefeitos e vereadores.

Daniel Vilela disse que tem disposição para entrar na disputa, mas lembrou que o momento ainda é de consolidar um programa político e de gestão para depois avaliar qual nome tem mais condições de liderá-lo nas eleições de 2018. “Estamos aqui ouvindo a opinião dos nossos companheiros sobre o caminho do PMDB para 2018 e levantando informações de cada região do Estado para apresentar um projeto moderno, ousado e que contemple as necessidades das pessoas”, afirmou o presidente da legenda. “Esta é a nossa primeira obrigação. Depois chegará o momento de decidir qual o nome mais adequado para liderar esse momento de mudança em Goiás”, completou.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757