Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Rubens Salomão/Portal 730
marconisexta
O governador Marconi Perillo (PSDB) reuniu a imprensa na manhã desta sexta-feira (30) no Palácio Pedro Ludovico Teixeira para apresentar o balanço das contas do Estado em 2016.

Segundo Perillo, o Estado encerra o ano com os objetivos em relação aos ajustes anticrise da economia alcançados, em relação a outras unidades da federação, e admitiu serem resultados “alvissareiros, frutos de um grande esforço comandado por nossa equipe".

De acordo com dados apresentados pela Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz-GO), o governo apresentou em 2016 superávit de R$ 600 milhões, valor seis vezes superior ao projetado no início do ano e 100 vezes superior aos R$ 6 mi em 2015. O resultado também é superior aos déficits das contas públicas de R$ 1,8 bilhão em 2014 e 2015.

"Esses são os resultados principais na área econômica do governo do Estado. Posso afirmar que dificilmente teremos outro Estado com um resultado semelhante ao nosso", afirmou Marconi, destacando o empenho da equipe econômica do quarto mandato, liderada pela titular da Sefaz, Ana Carla Abrão Costa. "Pelos números, creio que estamos entre os três Estados com melhores resultados, fundamentalmente por conta dos ajustes que nós fizemos ao longo dos últimos três anos", disse o governador.

Perillo fez agradecimentos à titular da Sefaz-GO e à equipe econômica pelos resultados alcançados. "Esses resultados são alvissareiros, frutos de um grande esforço, comandado por nossa equipe econômica, sobretudo pela secretária de Fazenda, Ana Carla Abrão Costa, que está deixando o governo depois de dois anos de intenso trabalho, intensa dedicação, profissionalismo e muita competência" disse o governador. "A toda a equipe econômica comandada pela Ana Carla, o meu muito obrigado pelos resultados", disse. 

O governador enfatizou que os resultados positivos foram obtidos num cenário “totalmente adverso e de grande crise econômica: dois anos e três meses recessão, com empobrecimento da população brasileira em 8,3%, percentual de queda do PIB”.

A previsão do governo é de que os investimentos somem até R$ 2 bilhões em 2017. Deste montante, R$ 200 milhões serão destinados em 2017 para o atendimento de demandas dos prefeitos. O governador detalhou que o valor será repetido em 2018 e que todas as obras serão fiscalizadas pela Caixa Econômica Federal, além de apontar que a economia de gastos do ano que vem não deverá ser muito inferior à previsão de corte de R$ 1,6 bilhão.

Foto: Marco Monteiro
rubensmarconi

 

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757