Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

aprendizes

Foto: Reprodução/ Internet

O ano está apenas começando, é momento de planejar, definir objetivos e 2018 ainda é apenas um jovenzinho. Para retornar às atividades teóricas dos jovens aprendizes, instrutores, coordenadores e gestores da Rede Nacional de Aprendizagem, Promoção Social e Integração (Renapsi) se reúnem para discutir e traçar metas e projetos para os próximos 12 meses.

Por falar em projetos, um deles é concluir a certificação de jovens aprendizes em todos os 246 municípios goianos. Quem percorreu boa parte deles em 2017 foi a coordenadora Educacional do Interior de Goiás, Roberta Sousa. Em entrevista no quadro Momento Pró-Aprendiz desta quarta-feira (10), ela conta os desafios do programa em 2018.

“Nos 246 municípios temos jovens aprendizes tanto na rede pública quanto privada. Ao concluir o programa, o jovem é certificado. É preciso mostrar a estes jovens a importância deste certificado e falar que agora estão aptos ao mercado de trabalho e que vão seguir por conta própria, pois estão mais do que preparados”, afirma.

As atividades na Rede Pró-Aprendiz foram retomadas nesta semana. Roberta Sousa relata que a equipe já está a todo vapor com a atualização dos instrutores responsáveis por ministrar os cursos aos jovens.

“Nosso objetivo nessa semana é a capacitação como todos os instrutores que temos no interior de Goiás, e fazer uma capacitação coletiva. É uma unificação, porque o que é feito aqui na capital, também é feito no interior; e tentar melhorar, pois tudo o que é feito é em prol do jovem”, reitera.

Um dos motivos desta atualização é a nova Lei Trabalhista. A instrutora da Renapsi em Goiânia, Lidiane Amélia de Brito Capela, afirma que, apesar de uma linguagem única a todos os instrutores, são respeitadas as particularidades de cada região do estado.

“A gente faz as adaptações, de acordo com cada realidade, vivência. Isso é muito importante, a troca de experiências, de informação, e com muitas novidades, como a Lei Trabalhista. Teremos um momento para aprender sobre isso também, estamos em constante aprendizado. É preciso nos aperfeiçoarmos para levar o novo até os nossos jovens”, pondera.

Imagens: Johann Germano/Portal 730

Um dos pólos industriais mais importantes do estado concentra-se em Anápolis, a 60 quilômetros de Goiânia. O instrutor da Renapsi na cidade, Mithiuri de Souza Sukiyama, explica como isso interfere no aprendizado dos jovens da região.

“Anápolis exige um jovem um pouco mais pró-ativo. Não que os outros não sejam, mas lá é por conta do dinamicismo na indústria. Por conta do pólo agroindustrial, os jovens precisam estar mais antenados, têm uma exigência técnica um pouco maior”, ressalta.

No sul, no município de Caldas Novas, cuja principal atividade econômica é o Turismo, instrutora Maria Pereira, afirma que a preocupação maior é justamente com quem chega para conhecer ou retornar a cidade das águas quentes. Ela reforça que a troca de experiências em Goiânia é para fortalecer o social do jovem em prol da economia local.

“Temos uma demanda muito grande na rede hoteleira. Então esse jovem precisa estar atualizado e preparado para receber os visitantes da nossa cidade. Isso exige muito do mercado de trabalho. O êxito do crescimento de Caldas Novas depende hoje dessa capacitação com o nosso jovem, pois eles serão os futuros profissionais que vão estar atuando diariamente com esse público”, esclarece.

Ouça a entrevista na íntegra

O Momento Pró-Aprendiz vai ao ar na Rádio 730 todas as quartas-feiras no programa Cidadania em Destaque, das 14h às 16h.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757