Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail


Foto: Marco Monteiro
marcomonmteiro
O governador Marconi Perillo empossou na manhã desta quarta-feira (9) os 252 candidatos aprovados no concurso para os cargos de analista e de assistente de gestão administrativa da Universidade Estadual de Goiás – UEG – realizado em 2015. Deste total, 123 assumiram a função de analista de gestão administrativa e 129 de assistente de gestão administrativa.

Durante a solenidade ocorrida no auditório Mauro Borges do Palácio Pedro Ludovico Teixeira, o governador declarou-se feliz em poder investir na UEG, especialmente no momento em que o País vive sua maior crise econômica, com mais de dois anos de depressão econômica. “Tivemos a coragem de chamar um concurso e dar posse aos aprovados. E fizemos isso porque tomamos as medidas de ajuste e de austeridade ao longo desse período de crise”, declarou.

Recordou que, ao assumir o governo pela primeira vez, no início de 1999, encontrou um Estado repleto de problemas, a começar por folhas de servidores atrasadas, obras paralisadas, dentre outros. “Todos os cenários econômicos eram de muita dificuldade. Nossa equipe, contudo, não ficou chorando em cima dos problemas como muitos estão fazendo hoje pelo País afora. Aquele é o exemplo que nós estamos precisando para a nossa nação. Precisamos superar a dificuldade com otimismo e com planejamento para que se comece uma agenda positiva”, exortou.

Marconi fez um histórico das medidas que tomou desde os primeiros momentos de sua primeira gestão. “Até o mês de maio de 1999 – lembrou – fomos capazes, apesar de todas as dificuldades, de propor uma agenda que é moderna até hoje. Em poucos meses, começamos a qualificar os professores que não tinham curso superior. Havia apenas 27% de professores com ensino fundamental e com diploma de curso superior. Hoje eles somam 99%”.

Outra medida tomada logo nos primeiros meses daquela gestão, continuou o governador, foi em relação à matrícula dos alunos nas escolas estaduais. “Decidimos que os pais não iam mais dormir na fila para conseguir matrículas. Criamos a matrícula uniformizada”. Marconi destacou ainda que coibiu irregularidades na compra de insumos e alimentos para a merenda escolar, passando o dinheiro direto para os conselhos escolares e, no mesmo período, criou o Festival Internacional de Vídeo e Cinema Ambiental (Fica) realizado anualmente na Cidade de Goiás e que já chega a sua 20ª edição.

Ainda como parte de uma série de ações impactantes para mudar os rumos da administração pública do Estado, recordou ter tido a coragem de pagar, em apenas um mês, duas folhas de servidores para que, a partir de então, os salários fossem quitados até o último dia útil do mês. “Também tomamos a decisão de pagar o 13º no mês do aniversário”, salientou.

Nesta mesma época, criou a Bolsa Universitária. “Sem dinheiro, criamos o programa com 4,5 mil bolsistas. Ontem entregamos mais 10 mil, chegando à marca de 180 mil ao longo desse período e já abrimos inscrições para mais dez mil”, completou.

Depois de lembrar que na mesma época também instituiu o Salário Escola, que virou modelo para o País e que já beneficiou mais de 100 mil famílias, o governador destacou a criação da Universidade Estadual de Goiás. “Criamos uma universidade a partir de uma estatuinte democrática, que definiu os rumos, os conceitos e as diretrizes da UEG. Tomamos a decisão de que os reitores e os diretores também fossem eleitos pelo voto direto de toda a comunidade escolar”, exaltou.

“Vejam que é possível ter uma agenda afirmativa e positiva mesmo em meio às adversidades, desde que a criatividade seja colocada em primeiro lugar”, salientou.

Disse ainda ter orgulho da UEG, uma universidade que já passou por altos e baixos, por acertos e erros, “mas que vai se consolidando com a competente administração do reitor Haroldo Reimer, que conseguiu dar a ela estabilidade administrativa e financeira”.

Do Goiás Agora

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757