Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Rubens Salomão/Portal 730
sintegofimgreve
Depois de 41 dias de greve, os servidores da Educação em Goiás decidiram retornar às atividades. A decisão foi confirmada em votação na tarde desta terça-feira (25) em frente à Assembleia Legislativa (Alego) em Goiânia.

Na manhã desta segunda-feira (24), em reunião com o governador Marconi Perillo, o vice José Eliton, ambos do PSDB, a titular da Secretaria Estadual de Educação e Esporte (Seduce), Raquel Teixeira, e representantes da equipe econômica, foram aprovadas diversos itens que regiam as reivindicações dos trabalhadores.

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás (Sintego), Bia de Lima, ressaltou as conquistas da categoria.

“A batalha foi árdua, mas vitoriosa. Depois de inúmeras reuniões e negociações, finalmente o governo do Estado atendeu às solicitações dos trabalhadores em Educação. Estas vitórias são da nossa categoria, o que demonstra que nossa dedicação e pressão foram muito importantes”, afirma.

Segue abaixo as propostas aprovadas pelo governo estadual:

- Serão 21% de reajuste para os administrativos, estavam a 3 anos sem nada;

- Reajuste de 34% para contratos temporários;

- Os professores conseguiram um reajuste de 7,64% para todas as categorias, incluindo aposentados;

- Auxílio alimentação no valor de R$ 500,00 para administrativos, professores efetivos, temporários e comissionados, foi uma conquista a mais. O que acrescenta um ganho nos rendimentos da categoria;

- Progressão para 448 professores do Quadro Permanente do Magistério;

- Concurso público para 900 professores PIII e 100 administrativos;

- Resolução do quadro transitório. O Quadro Transitório do Magistério – QTM, equipará-se a PIII, a inclusão de todos os professores que estavam nesta faixa no quadro de PIII;

- Gratificação por Dedicação em Período Integral (GDPI) para os professores, diretores e coordenadores das escolas em tempo integral;

- Aumento de 20% para os recursos destinados à aquisição da merenda escolar;

- Aumento de 58% para o Pró-Escola (programa de custeio de reformas e reparos emergenciais das unidades de ensino);

- Recriação de subsecretarias com outra nomenclatura, coordenações, as 40 estão de volta.

Reunião desta segunda-feira (24) (Foto: Divulgação)
sintegofimgrevee

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757