Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Reprodução/ Internet
giz
Em decisão liminar publicada nesta terça-feira (18), o desembargador Norival Santomé, da 6ª Câmara Cível de Goiânia, determinou a suspensão da greve dos professores da rede municipal de Educação da capital, cujo início data do último dia 11.

A sentença atende a um pedido da Prefeitura de Goiânia, que solicitou que a Justiça considerasse o movimento grevista ilegal. Caso o Sindicato dos Servidores da Educação de Goiânia (Simsed) descumpra a ordem, ficará sujeito ao pagamento de uma multa diária no valor de R$ 100 mil.

A decisão liminar foi publicada na última terça-feira (18). Ela ocorreu após um pedido da Prefeitura de Goiânia, que solicitou que a Justiça considerasse o movimento grevista ilegal.

Além disso, no parecer o desembargador destacou que não ia julgar o mérito da greve, todavia, ressaltou que a greve causaria prejuízos para a população; “a deflagração do movimento grevista certamente prejudicará os alunos das escolas públicas municipais, gerando graves prejuízos em decorrência da ausência da prestação do serviço de educação e o comprometimento do calendário escolar”.

As principais reivindicações dos professores incluem: melhorias nas escolas e CMEIs de Goiânia; pagamento da data-base do trabalhador administrativo sem parcelamento; cumprimento do Piso Nacional dos professores e reposição das perdas inflacionárias; reajuste da Titularidade do professor, entre outras demandas.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757