Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Facebook/Sintego
alegosintego
Representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás (Sintego) e da Secretaria Estadual de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) se reuniram na manhã desta sexta-feira (24) em frente à Assembleia Legislativa, em Goiânia, em busca de um acordo para encerrar a greve dos servidores da Educação. A paralisação já dura nove dias.

A presidente do Sintego, Bia de Lima, revela que a secretária de Educação (Seduce) disse que anunciará um concurso público para mil vagas. A sindicalista relata ainda que 40% das escolas estão sem aulas e que a adesão ao movimento tem ocorrido gradativamente.

Para o concurso, serão abertas mil vagas, sendo 900 para professores de Matemática, Química e Física e 100 para o quadro administrativo de nível superior. Raquel Teixeira informou que esse é apenas o início de um processo maior. O edital deve ser publicado até o mês de junho.

Sobre o reajuste para os servidores, a titular da Seduce, Raquel Teixeira, ressaltou na reunião que o governo estadual autorizou um índice para repor a inflação. “Estamos trabalhando com duas simulações para ver o que é possível fazer dentro das limitações financeiras do Estado, mas considero isso uma sinalização muito importante para que outras melhorias possam ser anunciadas”.

Piso

Quanto ao pagamento do Piso Salarial Nacional e o Plano de Carreiras dos Administrativos, a secretária disse que ambos representam os dois maiores desafios a serem resolvidos e que já estão sendo analisados por uma comissão que inclui a Seduce e as secretarias da Fazenda e Planejamento, já que impactam diretamente na Previdência. “Estamos fazendo todo o empenho possível para encontrar logo uma solução”, explicou.

Com informações do repórter Gerliézer Paulo e do Goiás Agora

 

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757