Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Projeto arquitetônico é modelo de primeiro mundo (Foto: Divulgação)
projeto
O governador Marconi Perillo (PSDB) pediu atenção total na conclusão das 29 escolas estaduais Padrão Século 21, que estão em construção em todo o estado, ao custo aproximado de R$ 170 milhões, com recursos próprios da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) em parceria com Ministério da Educação, por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Deste total, 25 unidades estão localizadas no Entorno do Distrito Federal, região de crescente demanda. As demais estão nos municípios de Acreúna, Aparecida de Goiânia, Caldas Novas e Goiânia.

“Nós entendemos que esse conceito arquitetônico, com salas arejadas, jardins de inverno, espaço para ser utilizado pela comunidade é o modelo de escola de primeiro mundo. Tenho orgulho de ter entregue mais de 120 escolas com esse padrão, e termos reformado mais de mil escolas, repassando o dinheiro para que os gestores decidissem a melhor forma de reformar suas escolas”, observa o governador, acrescentando que tudo isso tem um objetivo: “Fazer com que a educação de Goiás seja reconhecida entre as três melhores do Brasil”, diz Marconi.

Conforme cronograma divulgado pela Seduce, a unidade de Caldas Novas será entregue já no mês de fevereiro. A expectativa é de que todas as escolas – com 70% ou mais das obras em andamento – sejam concluídas em 2017, segundo o chefe do Núcleo de Obras da Rede Física da Seduce, Francisco das Chagas Soares.

Nos últimos três meses, foram realizados processos de licitação para a construção de mais cinco unidades, sendo três em Rio Verde, uma em Planaltina e a outra em Novo Gama. As obras devem ser iniciadas em um mês com previsão de conclusão no período de nove meses.

O projeto arquitetônico Padrão Século 21 foi orientado pela secretária Raquel Teixeira e inclui 12 salas de aula, laboratórios de informática e de ciências, sala de diretoria, secretaria e grêmio estudantil, cozinha, refeitório, auditório, biblioteca, quadra poliesportiva coberta e área de convivência externa. As salas são climatizadas e a estrutura é adaptada para portadores de necessidades especiais.

De acordo com Francisco, a área compreende entre 8 mil e 10 mil m². “É uma escola completa, que dá mais condições para os professores trabalharem”, comenta.

Com informações do Goiás Agora

Obras devem ser concluídas em 2017 (Foto: Divulgação)
projetor

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757