Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

O Secretário de Desenvolvimento Econômico (SED), Francisco Pontes, divulgou na manhã desta sexta-feira (10), o resultado da balança comercial goiana referente ao mês de outubro, durante entrevista coletiva em seu gabinete. De acordo com os dados apresentados, a balança comercial pendeu para um novo superávit, de US$ 374,3 milhões, mantendo a sequência recorde de 46 meses consecutivos em que o Estado exportou mais que importou.

Segundo Francisco Pontes, estes resultados são consequências das políticas de comércio exterior adotadas pelo Governo de Goiás. “Temos conseguido inserir o produto goiano na agenda do comércio exterior graças à atuação de nosso empresariado e às ações de aproximação com diversos países por meio da divulgação de Goiás nas missões internacionais, feiras e encontros com embaixadores”, avalia Pontes.

O saldo das exportações de outubro totalizou US$ 580,6 milhões, relatando um significativo aumento de 79,2% sobre o mesmo período do ano passado. Já nas importações, mesmo em menor proporção, o saldo de US$ 206,2 milhões também obteve crescimento em relação a outubro de 2016, de 11%. De setembro a outubro, houve queda de 10,5% nas exportações e de 15% nas importações.

O superintendente Executivo de Comércio Exterior da SED, Bill O´Dwyer, lembrou que Goiás foi o primeiro Estado do Brasil a ter uma secretaria de Comércio Exterior. “No ano 2003 o governador Marconi já vislumbrou a importância desta área para a economia goiana e criou a Secretaria de Comércio Exterior. Em 2000, a balança tinha um saldo de US$ 300 milhões por ano, hoje este valor é a média mensal”, informou O’Dwyer.

Acumulado

A previsão, segundo superintendente Bill O´Dwyer, é que no final de 2017 o superávit acumulado do ano alcance o patamar de US$ 7 bilhões. Nestes dez primeiros meses do ano, as exportações goianas cresceram 13,52% diante de igual período do ano passado, ao totalizar US$ 5,9 bilhões em vendas de produtos goianos. Por outro lado, as importações – que totalizaram 2,6 bilhões entre janeiro e outubro – tiveram um acréscimo maior (de 20,4%) em relação a este mesmo período de 2016.

Porém, mesmo que as importações tenham crescido mais proporcionalmente, no acumulado de 2017, o superávit ainda prevaleceu. De janeiro a outubro deste ano, o saldo da balança resultou em US$ 3,2 bilhões, valor também superior ao alcançado em igual período do ano anterior que foi de US$ 2,9 bilhões.

Exportações

No referido mês, foram exportados 339 diferentes produtos para 101 países. A China ficou em primeiro lugar no ranking de parceiros comerciais em exportações goianas durante o mês de outubro, adquirindo 16,15% dos produtos vendidos no exterior, como Complexo Soja, Carne Bovina, Ferroligas e outros. Ao todo, o valor comercializado com os chineses somou US$ 93 milhões.

Os Países Baixos (Holanda) aparecem em segundo, entre os destinos das exportações, com a aquisição de 7,4% dos produtos goianos. O Japão ocupou a terceira colocação (5,63% do total) e em quarto, Itália (4,95%). Na sequência estão Coréia do Sul, Finlândia, Índia, Irã, Rússia e Arábia Saudita.

Entre os produtos, a exportação de Carnes aumentou 18,4% em relação a outubro do ano anterior, conquistando o primeiro lugar no ranking dos produtos vendidos durante o mês de outubro, somando US$ 121 milhões. Esses números representaram 20,98% do total exportado por Goiás em outubro. Aves tiveram o maior destaque entre as carnes, ao se comparar com os dados de outubro de 2016, crescendo 63,51%. As Carnes Bovinas e Suínas também tiveram acréscimo, de 6,6% e 22,6%, respectivamente.

Os Complexos Soja e Milho surgem na sequência em segundo e terceiro lugar na lista de produtos exportados. O grande destaque ficou para a expansão das vendas destes produtos em relação a outubro de período de 2016, onde ambos tiveram um aumento substancial. 

Com US$ 112 milhões exportados, a soja aumentou 202,2% e a exportação de milho, com US$ 110 milhões, cresceu 843,88%.

Ferroligas apareceram em quarto lugar, seguida por Açúcar; Ouro; Couros e derivados; Sulfeto de Cobre; Algodão; Máquinas, Equipamentos e Aparelhos Elétricos e Mecânicos; e Amianto.

Importações

Durante o mês de outubro, foram importados para Goiás 1.316 produtos diferentes, vindos de 64 países. Os Estados Unidos ocuparam o primeiro lugar no ranking de países dos quais Goiás mais comprou em outubro de 2017, totalizando US$ 31.055.956 milhões ou 15,05% do total das importações. O segundo lugar no ranking das importações coube a Coréia do Sul, com 11,14% do total, seguidos pela Alemanha (9,83%), China (9,25%), Japão (8,40%), Suíça (5,51%), Índia (4,65%), Canadá (3,19%), Tailândia (3,10%) e, finalmente, Espanha (2,85%).

Em relação aos itens comercializados, os Produtos Farmacêuticos lideraram, somando US$ 47 milhões, obtendo 22,92% de participação no valor total das importações do Estado, o que resultou em crescimento de 5,09% em relação a outubro de 2016. Veículos aparecem em segundo lugar com 14,91% de representatividade, totalizando US$ 30,7 milhões, mesmo com o recuo de 4,94% em relação a outubro de 2016.

Em terceiro lugar, apareceram Produtos Químicos Orgânicos com participação de 14,56%, seguidos por Adubos e Fertilizantes (10,64%); Máquina, Aparelhos e Materiais Mecânicos e suas partes (9,12%), Instrumentos e Aparelhos de Ótica e de Fotografia com 7,43%. Destacaram-se, ainda, Máquinas, Aparelhos e Materiais Elétricos e suas partes; Plásticos e suas obras; Gorduras e Óleos Animais ou Vegetais; e Obras de ferro fundido, ferro ou aço.

Acesse aqui o estudo completo da balança de outubro.

Do governo de Goiás

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757