Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Reprodução/ Internet
paes2
Não ter preguiça de acordar cedo, ser higiênico e gostar de cozinhar, são alguns dos ingredientes que compõem a receita de um bom panificador, profissional responsável por fazer pães, bolos, salgados e doces diversos.

Para ser panificador não é preciso possuir uma formação específica. Contudo, ter cursos na área é um fator importante para quem deseja se destacar. O instrutor do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Julimar Monteiro, afirma que a procura pelo curso de panificação  e confeitaria aumentou nos últimos meses. Segundo o instrutor, somente no Senai Goiás, cerca de 130 pessoas se formam no curso anualmente.

Além disso, são responsabilidades do panificador: a fabricação das massas, a produção de recheios e a operação de fornos. Segundo Julimar Monteiro, por estar apto a administrar um negócio, um panificador possui atribuições mais amplas do que um padeiro convencional.

O salário médio de um panificador gira em torno de dois mil reais mensais. Entretanto, esse valor pode aumentar já que o panificador pode trabalhar em padarias tradicionais, artesanais, ou como autônomo. Ainda de acordo com Julimar Monteiro, apesar da crise econômica, o mercado em Goiás está aquecido.

Para mais informações sobre o curso oferecido pelo Senai Goiás, acesse o site.

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757