Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Foto: Divulgação
bandeira
A Câmara de Vereadores de Goiânia rejeitou no último dia 12 de julho o projeto de lei que autoriza a criação do Conselho Municipal dos Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (COMLGBT), pelo placar de 16 a 5.

O assunto foi o tema do debate do programa Super Sábado de hoje (29), com Rubens Salomão, que teve como convidados o Superintendente LGBT da Secretaria Municipal dos Direitos Humanos e Políticas Afirmativas da Prefeitura de Goiânia, Victor Hipólito, e o vereador Paulinho Graus (PDT), que foi um dos que votou contra o projeto.

De acordo com o último Censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a região metropolitana de Goiânia possui cerca de 12% de uma comunidade LGBT, e segundo levantamento da Organização das Nações Unidas (ONU) concluiu que a capital goiana é a que mais registra mortes de por este motivo. Ele cita o motivo da tentativa de criação do conselho.

Ouça o debate na íntegra:

Bloco 1

Bloco 2

“Foi um apelo feito pela comunidade local, pois é necessário o conselho para a criação de políticas públicas de seguridade, políticas sociais, de resgate e da vulnerabilidade social dessas pessoas, porque a maior evasão escolar está nessa comunidade, o maior índice de assassinatos está nessa comunidade depois da negra. Então é importante para assegurar a vida dessas pessoas”, afirma.

Embora tenha votado contra a criação do COMLGBT, Paulinho Graus diz que apoia os movimentos. O parlamentar, entretanto, diz que votar projetos desta natureza foge à alçada dos vereadores.

“Não são projetos ruins, são ideias ótimas, maravilhosas, porém não é de competência dos vereadores. Na Câmara tem vários vereadores que colocam competências do prefeito, dos governadores, do Presidente da República, até da ONU. São projetos que invadem a competência dele de vereador. Quando a sociedade elege um vereador ela quer asfalto, saúde, educação, luta dos direitos LGBT, cultura, é isso. Só que, no plenário, a competência de um vereador não cabe isso”, afirma.

Confira a relação de vereadores que votaram contra e a favor da proposta.

Rejeição (16)

Anderson Sales Bokão (PSDC)

Cabo Senna (PRP)

Delegado Eduardo Prado (PV)

Dr. Paulo Daher (DEM)

GCM Romário Policarpo (PTC)

Jair Diamantino (PSDC)

Juarez Lopes (PRTB)

Kleybe Morais (PSDC)

Léia Klébia (PSC)

Milton Mercêz (PRP)

Oséias Varão (PSB)

Paulinho Graus (PDT)

Paulo Magalhães (PSD)

Rogério Cruz (PRB)

Sargento Novandir (Pode)

Wellington Peixoto (PMDB)

Aprovação (5)

Alysson Lima (PRB)

Clécio Alves (PMDB)

Dra. Cristina Lopes (PSDB)

Jorge Kajuru (PRP)

Tatiana Lemos (PCdoB)

Abstenção

Emilson Pereira (PTN)

Ausente

Elias Vaz (PSB)

Não votaram (11)

Anselmo Pereira (PSDB)

Carlin Café (PPS)

Felisberto Tavares (PR)

Gustavo Cruvinel (PV)

Izídio Alves (PR)

Lucas Kitão (PSL)

Priscilla Tejota (PSD)

Sabrina Garcêz (PMB)

Tiãozinho Porto (Pros)

Vinícius Cirqueira (Pros)

Zander (PEN)

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757