Atlético Goianiensebrasao-goias-3Vila Nova
appleandroidtwitterfacebookyoutubeinsta-bordaemail

Leia mais...Clientes de um restaurante de Tóquio, capital japonesa, parecem não se importar se o que pediram no cardápio não for necessariamente o mesmo prato que será servido. Isso porque o estabelecimento emprega pessoas que sofrem de doenças que comprometem a memória, como o Alzheimer.

O objetivo da ação é fazer com que estas pessoas sintam-se úteis na sociedade, além de ser uma forma de combater o preconceito e de promover um olhar diferente sobre a doença. O restaurante, que funciona no distrito de Toyosu, contrata garçons mesmo sabendo que eles podem acabar trazendo o pedido errado.

De acordo com os proprietários do The Restaurant of Order Mistakes, ou “Restaurante dos Pedidos Errados”, a iniciativa pode fazer com que os clientes tenham uma nova percepção sobre pessoas que sofrem de doenças cerebrais. “Eles têm contato com a possibilidade de exercer empatia”, relata um dos donos.

Um blogger japonês, Mizuho Kudo, que escreve para restaurantes do país, diz que foi ao local e pediu um hamburger, mas acabou recebendo um bolinho chinês, conhecido como ‘guioza’. Apesar do erro, quase que proposital, o jovem achou tudo muito delicioso, além de relatar que a garçonete que o atendeu sorrindo e parecia se divertir com a situação.

O estabelecimento abriu somente no período de 2 a 4 de junho, em caráter experimental. Outro experimento como este deve acontecer no mês de setembro, quando é celebrado, no dia 21, o Dia Mundial do Alzheimer.

Leia mais...O major-general Alexis López Ramírez renunciou ao cargo de secretário do Conselho de Defesa da Nação, o órgão máximo consultivo do governo da Venezuela por discordar do processo de Constituinte convocado pelo presidente Nicolás Maduro. A informação foi confirmada nesta segunda-feira (13) à Agência EFE por uma fonte do Executivo.

O militar acumulava o cargo de secretário do Conselho de Estado da Venezuela desde 7 de julho de 2014 por decisão de Maduro e antes tinha sido comandante-geral do Exército.

O jornalista e ex-embaixador venezuelano Vladimir Villegas afirmou no Twitter que López Ramírez renunciou por discordar da decisão de Maduro de convocar uma Assembleia Constituinte.

López Ramírez também foi chefe da Casa Militar do ex-presidente Hugo Chávez. O major-general participou, ao lado de Chávez, da fracassada tentativa de golpe de Estado em 1992 contra o então presidente Carlos Andrés Pérez.

O Artigo 323 da Constituição da Venezuela diz que o Conselho de Defesa da Nação é "o órgão máximo de consultoria para o planejamento e assessoria do Poder Público nos assuntos relacionados com a defesa da nação, a sua soberania e a integridade de seu espaço geográfico".

Assembleia Constituinte

A Assembleia Nacional Constituinte, convocada por Maduro no último dia 1º de maio, tem como objetivo redigir uma nova Carta Magna para substituir a atual.

Vários chavistas distanciados do governo de Maduro são críticos da convocação da Constituinte. Uma das principais vozes opostas à medida é a procuradora-geral, Luisa Ortega Díaz, que defende que a população deve ser consultada sobre a mudança do ordenamento jurídico do país.

A eleição dos mais de 500 representantes da Assembleia Constituinte será realizada no próximo dia 30 de julho. O texto que eles aprovarem deverá ser submetido a um referendo para sua aprovação antes de ser considerado a nova Constituição.

Desde o último dia 1º de abril, a Venezuela vive uma onda de protestos contrários e favoráveis ao governo. Alguns deles terminaram em violência e repressão policial. O número de mortos já chega a 67, com mais de mil feridos.

Da Agência EFE via Agência Brasil

Leia mais...Centenas de pessoas, muitas delas familiares e amigos das 49 vítimas do massacre da boate Pulse, estiveram na madrugada desta segunda-feira (12) na discoteca, em Orlando, na Flórida, para lembrar dos mortos, no dia em que completa um ano do pior massacre com arma de fogo dos Estados Unidos. As informações são da EFE.

Em uma cerimônia privada, parentes das vítimas participaram de uma homenagem às 2h20, horário local (3h20 em Brasília), momento em que, há um ano, ocorreu o massacre.

O momento de maior emoção foi quando foram lidos os nomes das 49 vítimas do conhecido clube gay e assim como a canção Over the rainbow, símbolo da comunidade LGBT.

Na parte externa da boate, muitas pessoas se aproximaram para lembrar amigos mortos e deixaram flores e velas. O venezuelano Jhamil Zaid Hinds Díaz disse à Agência EFE que perdeu nove amigos aquela noite e que precisou se fortalecer para apoiar as mães das vítimas.

"Esta noite e muitas noites que vim aqui, muitas manhãs e madrugadas eu estava aqui, não pelo que eu perdi, mas pelas pessoas que aqui ficaram. Muitas delas ainda não superaram a dor e precisam de nós. Que elas sintam que nós estamos aqui, dando força e que elas não estão sozinhas", disse.

Muitos dos presentes na homenagem não controlaram as lágrimas, em uma noite em que se tornou especial também por causa de um mural, próximo ao local do massacre, que representa os 49 mortos.

Uma das pessoas que colaborou com o mural foi o porto-riquenho José Luis Morales, que deixou a marca de sua mão sobre a imagem de um grande amigo seu, Edward Sotomayor, que morreu na Pulse.

"Isto é um pesadelo de 365 dias e ainda acredito que vou acordar", disse Morales, à EFE, "é uma perda irreparável e nem todo o ouro do mundo pode atenuar a dor que sinto neste momento".

Após cerca de 45 minutos, os participantes deixaram o local, para onde retornarão durante o dia para mais dois atos em homenagem às vítimas do massacre, onde também ficaram feridas mais de 50 pessoas.

À tarde, e como parte dos atos do Dia de Orlando Unida, Dia de Amor e Bondade, políticos e líderes comunitários presidirão a cerimônia Orlando é amor: Recordando nossos anjos, no anfiteatro do Eola Lake Park, onde a cantora porto-riquenha Olga Tañón se apresentará.

Na noite do dia 12 de junho de 2016, o americano Omar Mateen, que disse agir em nome do grupo terrorista Estado Islâmico, entrou armado com um fuzil e uma pistola automática na boate, onde ocorria uma festa latina, e praticou o ataque com maior número de mortos nos EUA desde os atentados de 11 de setembro de 2001.

Da Agência EFE via Agência Brasil

Leia mais...Eleitores de Porto Rico foram às urnas nesse domingo (11) para que a ilha se torne o 51º estado dos Estados Unidos. A abstenção no referendo foi alta, mas mesmo assim 98% dos moradores da ilha disseram sim à união com Washington. Mesmo assim o cenário é indefinido para a ilha caribenha. De um total de 2,2 milhões de eleitores registrados, cerca de meio milhão saiu para votar na consulta.

O referendo foi realizado sem o aval do Departamento de Justiça norte-americano. Até o momento, a Casa Branca não se pronunciou sobre o resultado.

A votação aconteceu no mesmo dia do tradicional desfile anual em Nova York. No segundo domingo de junho, os portorriquenhos residentes na cidade vão ao Central Park (o parque mais visitado da cidade) para celebrar o Dia de Porto Rico, que é um território sem personalidade jurídica, vinculado aos Estados Unidos.

Este ano, além da tradicional festa com música e danças,  os portorriquenhos protestaram por melhores condições de vida e saúde e pediram uma solução para a situação econômica da ilha que acumula uma alta dívida externa.

Porto Rico foi tomada da Espanha pelos Estados Unidos, mas depois recebeu o estatuto de "estado livre associado", o que significa que os cidadãos também são americanos, mas com algumas ressalvas. A população não pode votar, a menos que resida nos Estados Unidos.

Mesmo com o referendo, a última palavra será de Washington. A atual administração tem apontado para um distanciamento dos latinos, com medidas como a construção de um muro na fronteira com o México e o endurecimento das leis de imigração. O presidente Donald Trump não fez nenhum comentário sobre o referendo até agora.

Mas em abril, antes de enviar a proposta orçamentária ao congresso,  Trump reclamou dos gastos com a ilha, por exemplo, o Obamacare, como ficou conhecido o programa de subsídios do governo para ajudar famílias a pagar um plano de saúde, que atendia 900 mil portorriquenhos.

Da Agência Brasil

Leia mais...O partido do presidente da França, Emmanuel Macron, deve ser o mais votado no primeiro turno das eleições legislativas, que ocorreu neste domingo (11).

De acordo com as pesquisas de projeção, divulgadas pela mídia francesa após o fechamentos das urnas, o movimento República em Marcha, liderada pelo presidente, receberá aproximadamente 32% dos votos.

Cerca de 47 milhões de eleitores foram às urnas para escolherem 577 deputados.

Conforme as pesquisas, o partido conservador dos republicanos conseguirá cerca de 20%. A legenda ultradireitista Frente Nacional terá aproximadamente 14% dos votos, e o esquerdista, França Insubmissa, ficaria próximo dos 11%. O Partido Socialista deve ficar com 9%.

As projeções também indicam participação popular de 49%, número recorde de abstenção nas eleições legislativas na França.

Da Agência EFE via Agência Brasil

Leia mais...O governo conservador da primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, espera obter o apoio do norte-irlandês Partido Democrático Unionista (DUP, sigla em inglês) em votações sobre economia e segurança, mas descarta um grande pacto de coalizão, afirmou neste domingo o ministro da Defesa, Michael Fallon. As informações são da EFE. 

"Não estamos em um governo com o DUP, não estamos em uma coalizão com eles. Eles vão nos apoiar nos grandes assuntos econômicos e de segurança", afirmou Fallon ao ser questionado sobre a ideologia dos protestantes, que são contrários ao aborto e ao casamento homossexual.

"Não estamos de acordo, e não temos motivos para estar de acordo com alguns dos seus pontos de vista em certos assuntos sociais. Eu, pessoalmente, não estou", destacou o titular dA Defesa.

Tanto o DUP quanto o escritório oficial da primeira-ministra assinalaram que o diálogo continua para conseguir um acordo que permita aos conservadores obter apoios pontuais no parlamento, depois que o partido da premiê perdeu a maioria absoluta nas urnas.

Fontes do DUP afirmaram que a líder dos unionistas, Arlene Foster, deve se reunir na próxima terça-feira com May em Londres para fechar o acordo.

"Ontem, mantivemos um diálogo muito positivo com o Partido Conservador sobre como podemos apoiá-los para formar um governo nacional que daria estabilidade à nação. Essas negociações continuam", disse Foster.

O ministro da Defesa, que foi confirmado em seu cargo por May poucas horas depois da divulgação do resultado eleitoral, disse que o golpe que a primeira-ministra sofreu nas urnas vai obrigá-la, a partir de agora, a tomar decisões de maneira mais "coletiva".

Fallon também falou sobre a saída de dois dos assessores mais próximos de May, os chefes de gabinete Nick Timothy e Fiona Hill, que pediram demissão ontem depois que foram alvos de críticas pelo controle ferrenho que exerciam sobre os ministros e outros integrantes do gabinete de governo.

"Claramente, um governo em minoria requer uma atitude distinta. Já vimos algumas mudanças de pessoal. Eu dou boas-vindas a elas, certamente", disse o ministro.

"Vamos ver, espero, uma tomada de decisões mais coletiva no gabinete. Eu e outros colegas deixamos isto claro para ela [May]. Acredito que também veremos como ela quer trabalhar mais de perto com o grupo parlamentar", afirmou Fallon. 

Da Agência EFE via Agência Brasil

Leia mais...O diretor da Agência de Proteção do Meio Ambiente (EPA, sigla em inglês) dos Estados Unidos, Scott Pruitt, retornará neste (11) a seu país e não participará das sessões finais, nem da coletiva de imprensa conjunta da reunião do G7 do Meio Ambiente, marcada para esta segunda (12), na cidade de Bolonha, na Itália. As informações são da Agência EFE. 

Isto já era algo previsto, pois Pruitt tinha avisado que deveria retornar na tarde de hoje para uma reunião com o presidente Donald Trump, segundo confirmou o ministro de Meio Ambiente da Itália, Gian Luca Galletti, em declarações à imprensa.

Assim, tudo indica que não haverá as esperadas declarações do enviado de Trump. Os Estados Unidos anunciaram há alguns dias sua saída do Acordo de Paris. Pelo acordo, os países signatários se comprometeram a reduzir as emissões de gases do efeito estufa.

Galletti também confirmou que a posição dos Estados Unidos a respeito da luta contra a mudança climática "não vai mudar".

"Acredito que as posições já manifestadas não mudarão e sobre isto não há dúvidas. Só saberemos ao final destes dois dias de trabalho os resultados que vamos obter, mas já é positivo o fato de que continuamos falando sobre a busca de soluções e objetivos comuns", acrescentou o ministro anfitrião em uma pausa dos encontros.

Pruitt se limitou a informar, através de seu perfil no Twitter, sobre uma reunião com a secretária de Estado para o Meio Ambiente do Reino Unido, Therese Coffey, e de suas reuniões com representantes da luta contra o desperdício de alimentos.

O enviado de Trump também agradeceu em um tweet a "recepção ao estilo italiano" de Galletti e comentou que "o presunto e a massa estavam deliciosos", junto com uma foto na qual ele aparece segurando um rolo de massa para fazer macarrão.

Nas reuniões no Savoia Hotel Regency, que está afastado do centro histórico por motivos de segurança, participam também os ministros do Meio Ambiente da Alemanha, Barbara Hendricks; do Japão, Koichi Yamamoto; da França, Nicolas Hulot; e do Canadá, Catherine McKenna.

Também participam os comissários europeus de Pesca, o maltês Karmenu Vella, e de Ação pelo Clima e Energia, o espanhol Miguel Arias Cañete.

A agenda do G7 do Meio Ambiente prevê seis temas de discussão: os desperdícios nos oceanos, as finanças ecológicas, a economia circular e eficiente dos recursos, a ajuda à África e o papel dos bancos de desenvolvimento, os impostos ambientais e a gestão de resíduos perigosos.

Também está prevista a participação nos debates dos ministros do Meio Ambiente do Chile, das Ilhas Maldivas, da Etiópia e de Ruanda. 

Da Agência Brasil

Leia mais...O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, disse que, após o processo de desmobilização das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), os novos inimigos do país são a pobreza e a desigualdade. As informações são da Agência EFE. 

"Todos vamos levar este país adiante. As Farc estão entregando as suas armas e vão desaparecer como grupo armado. Assim os novos inimigos são a pobreza, a ignorância e a falta de saúde, que é o que estamos combatendo e o que estamos vencendo", afirmou Santos.

O presidente também manifestou que a mudança para a paz "requer um país unido, não polarizado. É o que eu quero para a Colômbia".

Na última quinta-feira, a missão da Organização das Nações Unidas (ONU) na Colômbia confirmou que as Farc já entregaram 2.300 armas, o equivalente a 30% do arsenal do grupo guerrilheiro, que faz sua transição à vida civil depois de assinar o acordo de paz com o governo.

O líder máximo das Farc, Rodrigo Londoño, conhecido Timochenko, afirmou na última quarta-feira que a guerrilha entregará mais 30% de seu armamento no próximo dia 14 de junho e os 40% restantes em 20 de junho. 

Da Agência EFE via Agência Brasil

Leia mais...A Sala Constitucional do Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) da Venezuela admitiu uma ação interposta por vários cidadãos que pretendem ter reconhecidos seus direitos de mudar de nome e de gênero, divulgou neste sábado a máxima Corte do país. As informações são da Agência EFE.

A "inovadora decisão" da Sala Constitucional, obtida em uma sentença no último dia 1 de junho e divulgada agora em um comunicado do Tribunal Supremo de Justiça, "atende às expectativas postergadas da população de sexo diversa", indicou.

A ação foi movida por um grupo de cidadãos que reivindica o direito "à livre extensão da personalidade", prevista no Artigo 20 da Constituição venezuelana.

O TSJ ordenou comunicar a Defensoria Pública, a Procuradoria-Geral e a Comissão de Registro Civil e Eleitoral do Conselho Nacional Eleitoral, e fixou um prazo para os demandantes expedirem nova documentação sobre as causas.

A Sala Constitucional pede que seja informada a condição de seu estado civil, cópia certificada das certidões de nascimento e um relatório médico psiquiátrico e psicológico assinado por um especialista no assunto, "que demonstre a veracidade da sua condição, procedente de qualquer organismo público ou privado".

O país deu vários passos no reconhecimento dos direitos dessa comunidade durante os últimos anos, um debate que as instituições venezuelanas conduziam de forma lenta em relação aos outros países da região.

Nas últimas eleições legislativas, em dezembro de 2015, os venezuelanos elegeram pela primeira vez um representante da comunidade transexual para o Parlamento, a deputada Tamara Adrian, de 61 anos, nascida homem.

Tamara mantém há mais de dez anos uma ação para solicitar ao Tribunal Supremo de Justiça que sua nova identidade de gênero seja reconhecida, e embora a Corte tenha admitido a causa, ainda não houve um pronunciamento definitivo a respeito.

Da Agência EFE via Agência Brasil

Ouça a 730
apple android
(62) 98400-1757